Promessa sub-20, Mateus Vital tem Carlos Leite como seu empresário

13/11/2017 às 08h22 - FUTEBOL

Na semana passada, a conceituada revista inglesa Four Four Two divulgou lista com os 100 melhores sub-10 do mundo, com a presença de sete brasileiros. 

Mas, com exceção de Vinicius Júnior, do Flamengo,e Douglas Luiz, ex-Vasco e do Manchester City (emprestado atualmente ao Girona), quem são os outros meninos que, apesar de jovens, já chamaram a atenção do mundo? 

O ESPN.com.br foi atrás apurar sobre eles.

Marquinhos Cipriano (São Paulo)

O primeiro deles é Marquinhos Cipriano, número 82 da lista. Joia da base do São Paulo, o atleta é empresariado por Juan Figer, tem multa rescisória de 30 milhões de euros (R$ 120 milhões) e vem sendo tratado como grande promessa do futuro tricolor, com quem tem contrato até 2020.

No meio do ano, enquanto disputava o Torneio Maurice Revello (antigo Torneio de Toulon) com a seleção brasileira sub-20 na França, o jogador foi sondado por PSG, Nice e Mônaco. Também já foi procurado antes por Atlético de Madrid, Arsenal, Porto e Juventus.

O jogador, natural de Catanduva, foi contratado pelo São Paulo em setembro de 2016. Custou cerca de R$ 1 milhão por 70% dos direitos e rejeitou propostas bem maiores para defender o time do coração, como ofertas recebidas do Flamengo e do Palmeiras.

Matheus Fernandes (Botafogo)

O menino de 19 anos é um dos xodós do técnico Jair Ventura. E vem sendo monitorado pelo Barcelona desde o fim do ano passado, quando um agente do time B da equipe catalã procurou seus representantes.

Por isso, recebeu um aumento do Botafogo, com cláusulas de produtividade que deixam sua remuneração ainda maior. A multa rescisória também multiplicou: virou R$ 100 milhões para times brasileiros e 40 milhões de dólares (R$ 140 milhões) para o exterior.

Mateus Vital (Vasco)

O jovem fez seu primeiro gol profissional no time do Vasco no mês passado e tem uma história de vida dramática. Quando ainda tinha apenas nove anos, presenciou a morte da mãe em uma tentativa de assalto que acabou com troca de tiros, na zona norte do Rio de Janeiro.

Apelidado de "Pet", por conta do estilo de jogo parecido com o do sérvio, o menino não gosta da alcunha e, por isso, passou a utilizar sempre o sobrenome quando fala de si. Em 2014, ele assinou o primeiro contrato profissional com o Vasco, quando tinha somente 16 anos. 

No meio deste ano, prolongou o vínculo até 2021 e recebeu um aumento salarial. Seu empresário é Carlos Leite, figura bastante conhecida nos bastidores do futebol brasileiro.

Matheusinho (América-MG)

O meia é uma das principais revelações do futebol mineiro nos últimos anos e vem sendo tratado pelo América-MG como estrela. No fim do ano passado, renovou contrato até 2021, com multa rescisória de 30 milhões de euros (R$ 120 milhões) para o exterior.

Titular das seleções brasileiras de base, Matheusinho tem apenas 1,64m de altura e virou destaque da Copa São Paulo de 2016. Desde então, passou a ser usado esporadicamente no time principal do América-MG.

No ano passado, Matheusinho foi utilizado como sparring da seleção brasileira olímpica, comandada por Rogério Micale. E não se intimidou com a presença de Neymar e Gabriel Jesus, com direito até a "caneta" no volante Thiago Maia.

Nonoca (Cruzeiro)

Aos 19 anos, Nonoca é cria das categorias de base celestes e recentemente prolongou seu vínculo com o Cruzeiro até outubro de 2021. E virou xodó do técnico Mano Menezes, que utilizou o menino em algumas oportunidades do time principal.

Nonoca chegou ao Cruzeiro em agosto de 2013, após grande atuação em jogo pelo Ribeiro Junqueira de Leopoldina, que lhe rendeu a procura por parte de olheiros do Cruzeiro. Enquanto esteve na base celeste, teve passagens pela seleção sub-17.

Fonte: ESPN Brasil