Quinta-feira (31) terá 'velhas' novidades na Colina Histórica

31/05/2018 às 08h11 - FUTEBOL

O quarteto, formado por jogadores constantemente criticados nos jogos e nas redes sociais, havia publicado no último dia 21 uma foto em que ironizava vaias da torcida cruz-maltina. Na imagem também estavam Rafael Galhardo, Erazo e Fabríco, mas o trio não a divulgou na internet e escapou da punição.

A foto caiu como uma bomba nos bastidores do Vasco. O elenco estava em Santiago, no Chile, concentrado para a partida contra a Universidad de Chile, pela Libertadores. Gabriel Félix, Paulão, Wellington e Evander pediram desculpas nas redes sociais e foram prontamente repreendidos pela diretoria – o gerente de futebol, Newton Drummond, estava no hotel, enquanto o diretor executivo, Paulo Pelaipe, estava no Brasil.

Os dirigentes passaram a madrugada de segunda para terça no telefone. Conversaram sobre o que seria feito com o quarteto, enquanto o presidente Alexandre Campello viajava, na manhã de terça-feira, para encontrar o elenco no Chile. Quando chegou a Santiago, o mandatário, com o departamento de futebol, decidiu afastar os jogadores envolvidos na polêmica.

Gabriel Félix, Paulão, Wellington e Evander, então, voltaram no mesmo dia ao Brasil e sequer assistiram à partida contra a Universidad de Chile, já que estavam no avião enquanto a bola rolava em Santiago.

Desde então, o quarteto treina separado do restante do elenco, em locais diferentes. Por exemplo: se o time comandado pelo técnico Zé Ricardo trabalha no CT das Vargens, os afastados treinam em São Januário. Eles perderam os jogos contra La U, Bahia e Paraná.

No período, a diretoria cruz-maltina analisou o cenário e o que fazer com cada jogador. Todos têm contratos longos: Gabriel Félix até fevereiro de 2021, Evander e Wellington até o fim de 2020 e Paulão até dezembro de 2019. Por isso, simplesmente afastá-los por tempo indeterminado não foi visto como uma boa saída.

Fonte: GloboEsporte.com