Riascos: "O Vasco tem um significado muito grande para mim"

31/01/2018 às 17h00 - FUTEBOL

A separação durou um ano e nove meses. Mas Riascos e Vasco se reencontraram. Querido pela torcida, o atacante voltou ao clube em 2018 e é uma das principais contratações do Cruz-Maltino para a Libertadores. A estreia será nesta quarta-feira, contra a Universidad de Concepción, no Chile.

Riascos conhece bem a Libertadores e ficou conhecido no Brasil na edição de 2013. Foi um dos destaques do Tijuana, mas, apesar dos três gols que fez, acabou marcado pelo pênalti que perdeu contra o Atlético-MG no último minuto da semifinal – se fizesse, teria eliminado o Galo, que se sagrou campeão.

Aquela foi a primeira Libertadores de Riascos. Agora, mais experiente, ele acredita que pode ajudar o Vasco. Afinal, tanta força para voltar não pode ter sido em vão.

- Meu filho mais novo, Alessandro, é carioca. Meu outro filho mais velho, Paulinho, e minha esposa também gostaram muito do Rio de Janeiro. E a torcida sempre mostrou carinho por mim. Por isso sempre quis voltar – explicou Riascos ao GloboEsporte.com, após o treino de reconhecimento no Estádio Municipal de Concepción.

Em sua primeira passagem, Riascos viveu altos e baixos. Começou mal e não convenceu no Brasileiro de 2015, quando o time foi rebaixado. No ano seguinte, porém, deslanchou e foi o artilheiro da equipe na conquista invicta do Campeonato Carioca, com 10 gols em 17 jogos. Logo depois, seu empréstimo acabou e ele foi para o Cruzeiro, contra a sua vontade.

Em 2017, defendeu o Millonarios, da Colômbia. Quando o contrato acabou no fim do ano, os astros se alinharam. O atacante estava livre no mercado, e o Vasco buscava um reforço para o setor. O acerto foi rápido.

- É uma felicidade. O Vasco tem um significado muito grande para mim. Procuro demonstrar em cada treino, em cada possibilidade de vestir a camisa. Vamos aproveitar, curtir e fazer o melhor para deixar o Vasco sempre no topo dos campeonatos.

Confira outros tópicos da entrevista com Riascos:

GloboEsporte.com: O que você leva de experiência daquela Libertadores que disputou com o Tijuana?

Riascos: Foi meu primeiro ano. Nunca havia jogado. A experiência foi muito linda. Espero voltar a viver, com coisas positivas. Lembro dos gols. Sempre foi um sonho. Quando fiz meu primeiro gol, acho que contra o Palmeiras... Lembram muito do pênalti, mas eu fiz gols pelo Tijuana. Não tive uma experiência ruim. Agora com o Vasco é esperar que tudo saia muito melhor.

Em que posição você se vê jogando neste Vasco?

Acho que cheguei aqui como centroavante, é a posição que acho que vou jogar. Temos jogadores muito rápidos pelos lados, para fazer cruzamentos. Acho que minha posição agora é centroavante.

Como foi a recepção no elenco? Conhecia muitos deles?

Conhecia gente da base, Henrique, Evander, Caio. Nenê foi embora, mas todos me receberam de braços abertos. Fiquei muito feliz.

O que achou da saída do Nenê?

É normal. Um cara que gostava muito dele. Sempre estava brincando com todo mundo, ficou quase dois anos no Vasco. O carinho era muito grande. Mas é a vida. Futebol é assim.

Vai manter aquela sua comemoração clássica da cobrinha?

Sempre. Me conheceram por essa comemoração, sempre vou fazer. Mas depois qualquer coisa pode sair.

Fonte: GloboEsporte.com