Sempre Vasco publica nota sobre os 100 jogos do Vasco pela Série B

Em 11/09/2016 08:50
 

O 100º jogo pela Série B: a "pedalada moral" dada por Eurico. 

No dia em que o Vasco faz o seu 100° jogo pela Série B, Eurico Miranda atinge mais um marca vexatória. Grava na história do clube mais uma cicatriz dolorosa na alma e no orgulho do vascaíno. 

Se já não bastasse o pesadelo do primeiro rebaixamento, promovido pelas administrações Eurico e Dinamite, em menos de 10 anos vivemos 3 rebaixamentos, todos protagonizados pela dupla Eurico - Dinamite. São sintomas do apequenamento que essas desastrosas e incompetentes administrações construíram, apoiadas nos interesses individuais. 

O rebaixamento acontece também fora de campo. Cotas de tv distantes dos patamares dos rivais, patrocínios menores, queda da média de público nos estádios, diminuição no número de novos torcedores e aumento das barreiras para a entrada de novos sócios eleitores. Tudo isto dentro de um quadro financeiro caótico e sem perspectivas. 

Este 100º jogo é a síntese que o Vasco parou no tempo: retrógrado, ultrapassado, chacoteado pelos rivais e propositalmente desunido, onde até torcida organizada com o nome do dirigente se torna mais importante que o grito "Vasco" nas arquibancadas. 

É o "amador" que vive do clube, que faz questão de confundir o que são práticas profissionais com pessoas ditas "profissionais". É amigo no cargo sem meritocracia. É a falta de transparência. É o balanço sempre com erros. É maquiar os puxadinhos e São Januário chamando-o de "complexo". É voltar para a primeira divisão torcendo para não cair, ao invés de lutar pelo título. É se contentar com o Carioca. É o filho, sem experiência e assessor não remunerado (sic!), mandando no futebol, no melhor estilo aventureiro. É escantear o VP de Futebol e fiel escudeiro financista em favorecimento do aumento do poder do herdeiro. É não ouvir os aliados políticos e colocá-los em posições secundárias. É perdoar a própria dívida e reclamar de confissões, mesmo que o VP de Finanças do Dinamite pertença ao grupo de conselheiros da situação. É ter um torcedor de arquibancada do maior rival tomando conta do marketing do clube. É jogar no Maracanã contra o tricolor com a torcida do lado esquerdo. É ser garfado pela arbitragem em confrontos decisivos. É anestesiar a torcida com migalhas em forma de vitórias sobre os rivais rubro negros. 

O atual presidente e responsável pelo rebaixamento afirmou, na última eleição, que "as quedas do Vasco para a segunda divisão foram uma degradação total". E foi mais longe quando sentenciou que "o Vasco não suporta mais aventuras; o Vasco não suporta mais três anos de humilhação, de subserviência e de uma posição secundária". 

Esta é a triste comprovação que o vascaíno levou uma "pedalada moral" na eleição. 

Até quando eles vão continuar com este processo de "olarização" do Vasco? 

#sempreaoladodovasco 

Fonte: Facebook Sempre Vasco