Sócios que votaram na urna 7 podem entrar com ação na justiça

09/11/2017 às 18h05 - POLÍTICA

Não é só Julio Brant que planeja entrar como parte interessada na ação que investiga os votos da urna 7 da eleição do Vasco. Alguns dos 475 sócios que votaram na eleição cruz-maltina também querem participar do processo - eles alegam dano moral por se sentirem constrangidos a votar numa urna separada durante o pleito.

É possível que estes sócios também entrem com ação contra Fernando Horta, cabeça da chapa "Mudança com Segurança", responsável pela petição inicial que fez com que uma urna fosse separada para 691 sócios que estão sob suspeita de irregularidade - eles entraram entre os meses de novembro e dezembro de 2015.

O pedido foi aceito, e as pessoas votaram separadas, numa urna protegida por dois policiais militares e acompanhada por um perito judicial.

Nesta quinta-feira, a juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves determinou que o Vasco tem 48 horas para apresentar os comprovantes de pagamento destes sócios, mostrando a situação regular deles para a eleição. O clube garante que tem como fazer isso.

Fonte: Globoesporte.com