Técnico 'Super-Homem' do Irã quase foi parar no Vasco

25/06/2018 às 08h17 - FUTEBOL

O técnico português Carlos Queiroz vai tentar o inimaginável nesta segunda-feira diante de Portugal, às 15h (de Brasília), em Saransk: classificar o Irã para as oitavas de final da Copa do Mundo. A missão é vista como impossível, mas é até bem simples matematicamente: basta uma vitória.

Por isso, acabou até apelidado pela imprensa local como o ‘Super-Homem’ da tática após vitória contra o Marrocos na estreia do Mundial.

Mas ele talvez sequer estaria nesta situação não fosse uma discussão com a Autoridade Antidopagem de Portugal (AdoP) em 2011 que o impediu de assumir o comando do Vasco.

“Foi em uma dessas saídas de treinador. Foi numa época que tivemos a ideia de trazer um técnico estrangeiro, buscar algo diferente para o Vasco. E ele era um técnico que teria essa relação. Era português, como a origem do Vasco. Falamos mais de uma vez por telefone. Ele até se animou com o convite de um clube brasileiro, mas ele não conseguiu se liberar para vir”, recorda Rodrigo Caetano, diretor de futebol vascaíno à época.

“Ele ficou superanimado com o convite. Sempre nos falamos por telefone. Se tivesse tido a oportunidade de vir, a gente pretendia trazê-lo ao Brasil para visitar o Vasco. Em todos os contatos ele se mostrou muito gentil, muito feliz por ser procurado, ser lembrado. Não descartou de inicio. Até conhecia a história do Vasco, clube da colônia portuguesa. E vir para o futebol brasileiro disse que era algo que o motivaria”, completa.

Está no ar o Bolão ESPN na Rússia para a Copa do Mundo! Dê seus palpites e desafie os amigos e também os talentos ESPN. Acesse www.espn.com.br/bolaoespn e participe!

De fato, Carlos Queiroz queria mesmo acertar com o Vasco – já tinha até dito em entrevistas anteriores a 2011 que tinha vontade de assumir um time do futebol brasileiro, citando o clube cruzmaltino como uma de suas opções.

O problema é que Queiroz teria insultado um membro da AdoP em 2010, quando era técnico da seleção de Portugal. Acabou demitido e ainda suspenso do futebol. Quando o Vasco o convidou, não estava liberado para aceitar o convite de nenhum clube.

O clube cruzmaltino havia acabado de demitir PC Gusmão. Sem Queiroz, acertou com Ricardo Gomes, que até teve ótima passagem por São Januário até ter o AVC que o afastou dos gramados.

E sem acertar com o Vasco, Queiroz aceitou o convite do Irã ainda naquele ano de 2011.

Vale lembrar que ele ainda tem passagem por clubes como Real Madrid e Manchester United (como assistente) na carreira.

Fonte: ESPN Brasil