Vasco, São Paulo, Brasileiro de 1989 e o gol de Sorato

Em 31/07/2011 13:08
 

Já aconteceram muitos jogos entre São Paulo e Vasco e o time Paulista tem uma grande vantagem nos jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro. Alguns desses jogos entraram para história, como por exemplo, quando o time que defende a Cruz de Malta venceu de virada, no ultimo minuto em 1997 com gol do meia Pedrinho, ou quando o Vasco venceu o time tricolor por exatos 7 a 1 em São Januário.

Mas vamos falar sério, o jogo mais importante envolvendo as duas equipes ocorreu no dia 16 de dezembro de 1989, dentro do Morumbi, numa ensolarada tarde de sábado. O jogo era válido pela final do Campeonato Brasileiro de 1989, o São Paulo tinha um bom time que anos depois iria se tornar Campeão Mundial, mas o Vasco não tinha apenas um time, mas sim uma seleção. O Vasco tinha feito uma campanha melhor durante o campeonato inteiro e por esse motivo o Vasco poderia empatar o jogo. Mas não foi isso que o Vasco se sagrou campeão, o esquema armado pelo técnico da época, Nelsinho Rosa, conseguiu parar o bom time Paulista. O leitor pode estar achando estranho a final não ter sido disputada em um domingo, mas para tudo existe uma explicação. No dia seguinte iria acontecer a primeira eleição para presidente de forma direta, o povo iria escolher o presidente após 26 anos sem ter essa liberdade de se expressar politicamente.

O time do Vasco se utilizou da superstição ao entrar em campo, todos os jogadores, menos o goleiro Acássio é obvio, estavam vestido com calções e camisas pretas, isso porque na maioria das vezes, na maioria das vitórias daquele campeonato era essa a cor do uniforme e como estávamos em busca do nosso tão sonhado Bi-Campeonato Brasileiro é melhor não arriscar. O time do Vasco estava muito preocupado em impedir os lançamentos milimétricos de Mario Tilico, ponta direita do time Paulista, mas ao mesmo tempo também tinha que tomar muito cuidado com os avanços dos meias Raí e Bobo, este último havia sido Campeão desse mesmo Campeonato Brasileiro um ano antes pelo Bahia. Mas o time de São Januário estava preparado para enfrentar essas três jogadas do time comandado por Carlos Alberto Silva, já que as jogadas mortais do time do São Paulo eram impedidas por três grandes jogadores da seleção Vascaína, o equatoriano Quinhonéz, Mazinho e Boiadeiro.

O São Paulo precisava desesperadamente da vitória para forçar uma nova partida, já o time carioca estava mais tranqüilo, não estava tão pressionado, mas sabia que era extremamente importante vencer e acabar logo com o Campeonato Brasileiro de 1989. Sempre lembrando que o Vasco era apontado como um dos favoritos, mas destes foi o único que conseguiu provar em campo o seu favoritismo.

Vamos então ao jogo, afinal é isso que importa para nós torcedores do time que defende a Cruz de Malta. Os times pouco atacaram no primeiro tempo preferindo somente se estudar durante a primeira etapa. Foram raras as vezes que um dois times levou perigo ao seu oponente. O único momento em que isso aconteceu foi aos 28 minutos do 1ª tempo. Falta cobrada para o São Paulo, o zagueiro do Vasco, Guinhonez tentou tirar da área de qualquer jeito e até conseguiu só não contava que a bola iria parar nos pés do atacante do time Paulista. Edivaldo, em um chute forte quase colocou seu time na frente do placar. Os torcedores do Tricolor do Morumbi tinham certeza que aquela bola entraria, entretanto não contavam com uma defesa magistral de um santo em forma de goleiro, que vinha brilhando durante o Campeonato Brasileiro daquele ano: São Acácio.

Dessa forma, o São Paulo jogou um pouquinho melhor do que o Vasco no primeiro tempo, mas não foi o bastante para conseguir abrir o placar, sendo assim faltavam apenas 45 minutos para o título rumar para o Rio de Janeiro.

O jogo foi praticamente definido aos 5 minutos da 2ª etapa. Marco Aurélio cortou de forma esquisita a bola tirando da área do Vasco, entregou para Willian, este por sua vez com um leve toque passou para o atacante Bebeto que havia chegado a pouco do Flamengo e com um lançamento incrível e inacreditável ele encontrou pelo lado esquerdo do campo o jovem atacante Sorato, então com 20 anos de idade. Este recuou a bola para o experiente Mazinho ao perceber que sua velocidade, naquele momento não adiantaria em nada. A bola passou por quase todo o time do Vasco, que preferia jogar no toque de bola. Mazinho tocou para Bismark e este por sua vez entregou para Boiadeiro.O time do São Paulo nesse lance ao tentar marcar todas as jogadas do time do Vasco se esqueceu de marcar um grande jogador, uma das válvulas de escape do time, o também experiente Luiz Carlos Wink. Ele cruzou para a área, Bebeto tentou cabecear e fazer o gol da vitória ao mesmo tempo em que era puxado pelo jogador do São Paulo, mas no final coube ao jovem atacante do Vasco, Sorato, após uma falha de cobertura do jogador Netinho, o prazer de fazer o gol que praticamente decretava o titulo do Gigante da Colina em um belo e inesquecível gol de cabeça, sem que fosse necessário ele saltar. O goleiro Gilmar fez de tudo para impedir o gol ,mas de nada adiantou, a cabeçada do camisa 7 do Vasco tinha sido extremamente forte.

Após o gol, o São Paulo foi para o tudo ou nada, mas naquela tarde de dezembro São Acássio parecia estar mais iluminado do que nunca. Primeiro fez uma defesa aos 7 minutos depois de um bom chute de fora da área, a bola pode ter vindo rasteira, porém chegou a levar perigo ao goleiro que vestia amarelo naquela tarde de Sábado. O time Paulista iria vender caro aquela derrota, tentava de todas as formas. Perto dos 15 minutos Edivaldo cobrou um escanteio muito fechado tentando fazer um gol olímpico, mas mais uma vez o goleiro do Vasco não permitiu que a bola entrasse.

O Vasco estava muito pressionado, o time do São Paulo crescia no jogo que estava começando a virar um ataque contra defesa e ainda faltavam mais ou menos meia hora para o final do jogo. Sendo assim o Vasco se viu na obrigação de jogar no contra-ataque. A primeira tentativa ocorreu aos 17, Bismark lançou Sorato, o atacante do Vasco por ser jovem e rápido correu em direção à bola, mas Gilmar goleiro do time do Morumbi foi mais rápido e mandou a bola para lateral.

A partir daquele momento todos os jogadores do São Paulo sabiam muito bem da dificuldade que iriam enfrentar para empatar o jogo. O Vasco parecia ter mais de onze jogares em campo, a sorte sorria para o time da Colina e para completar o goleiro Acassio valia por 4 , 5 jogadores, tamanha a sua capacidade de impedir o gol do time paulista. Pouco depois o time do São Paulo tentou novamente, Bobô armou um contra ataque fulminante, tocou para o ala Mario Tilico e este por sua vez cruzou para a área, mas o iluminado Acássio cortou como um gato o cruzamento e acabou se chocando com o jogador do time do Morumbi. Aos 39 os torcedores do Vasco prenderam a respiração por alguns momentos, não era a emoção da certeza da conquista do titulo, mas sim o receio de sofrer um gol novamente em uma cabeçada do atacante Ney que vinha dando muito trabalho para o time do Vasco. Nelsinho cobrou a falta, após uma excelente cabeçada do jogador do time Paulista era a hora de saber se Acassio estava iluminado suficientemente para tirar a bola de perto do gol do Vasco , ele desviou com a pontinha dos dedos, a bola beijou a trave e saiu para escanteio, depois desse lance todos os torcedores tiveram a certeza que nenhuma bola iria passar pelas mãos de Acássio e entrar dentro do gol do Vasco.

O Vasco poderia ter fechado o caixão do time Paulista aos 41, mas Bismark perdeu um gol feito. Em um contra-ataque fulminante o Vasco tentou o 2ª gol. Eram 3 jogadores do Vasco contra apenas um defensor do São Paulo , era certeza de gol? Mas Bismark preferiu resolver tudo sozinho. Após uma grande arrancada desde o meio de campo, ele chutou e por muito pouco o goleiro Gilmar não engoliu um belo de um frango. O problema era que o atacante Bebeto estava livre dentro da grande área tendo reclamado do companheiro de time. Timidamente a torcida do Vasco ensaiava o grito de é campeão que em 5 minutos iria se espalhar não só pelo Brasil, mas sim pelo Mundo inteiro.

Nos minutos finais o time do Vasco fez o que mais sabia, rodou a bola, de toque em toque o tempo estavadiminuindo rapidamente, aquela seleção de craques estava muito próxima de voltar a conquistar o Brasil depois de 15 anos.

FINAL

SÃO PAULO 0x1 VASCO

Local: Morumbi (São Paulo-SP); Público: 71.552;

Árbitro: Wilson Carlos dos Santos (RJ); Gol: Sorato 5\" do 2º;

Cartões Amarelos: Luiz Carlos Winck, Acácio e Zé do Carmo

São Paulo: Gilmar, Netinho, Adílson Ricardo Rocha e

Nelsinho; Flávio, Bobô e Raí; Mário Tilico, Ney e

Edivaldo (Paulo César). Técnico: Carlos Alberto Silva.

Vasco: Acácio, Luiz Carlos Winck, Quiñonez, Marco Aurélio e

Mazinho; Zé do Carmo, Marco Antônio Boiadeiro e Bismarck;

Sorato, Bebeto e William. Técnico: Nelsinho Rosa



Esse é um jogo que vai ficar na história pela forma com que tudo aconteceu. Quem imaginou que o jovem Sorato iria decidir o jogo em um time com tantas estrelas em diversas posições. O Vasco chegou a sonhar com um título da Libertadores em 1990 mas acabou ficando pelo caminho,terminou em uma honrosa 6ª posição. Se esse título tem um responsável além de Sorato, o goleiro e milagreiro Acássio surge como um dos maiores concorrentes. Certamente sem os seus milagres, o Vasco não teria sido Campeão Brasileiro em 1989.

Sempre lembrando que essa foi a ultima vitória do Vasco dentro do Morumbi por campeonatos Brasileiros. Está mais que na hora de repetir o que foi feito pelo time Bi-Campeão Brasileiro.

Ps: Parece sina, mas em grande parte dos títulos do Vasco quem fez o gol do titulo foi o camisa 7. Assim ocorreu com Jorginho Carvoeiro em 1974, Sorato em 1998, Alex Teixeira no titulo da série B de 2009 sem se esquecer domais novo integrante desse grupo, Eder Luis na Copa do Brasil desse ano.

Espero que o time do Vasco se inspire nesse jogo e finalmente, depois de 21 anos volte a vencer o time do São Paulo dentro do Morumbi. Afinal já passou da hora de voltar a vencer eles lá dentro.

Fonte: Blog O Sentimento Não Para