Vasco deverá ter retornos importantes para jogo de volta contra o Bahia

10/05/2018 às 08h14 - FUTEBOL

Em uma competição que se enxergava a possibilidade de título ou, pelo menos, uma chegada até as fases finais do torneio, o Vasco começou com o pé esquerdo. Derrotado por 3 a 0 para o Bahia na Copa do Brasil, o time de Zé Ricardo cometeu uma série de erros individuais na Arena Fonte Nova, foi 'amassado' pelo time baiano e terá que vencer o duelo em São Januário pelo mesmo placar se quiser levar o jogo para os pênaltis. 

Não quer perder nenhum jogo da 5ª rodada da Série C? Confiança x ABC, Náutico x Salgueiro, Botafogo-PB x Remo e Globo x Santa Cruz irão se enfrentar! Para assistir AO VIVO e de onde você quiser, clique aqui e assine o Esporte Interativo Plus por apenas R$9,90/mês!

A escalação do Vasco já mostrava uma possível fragilidade. Sem Rafael Galhardo, machucado, Zé Ricardo escalou Werley na direita e Pikachu à frente, com Erazo na zaga. Deu errado. O Bahia, no primeiro tempo, chegou a ter 65% de posse de bola, além de ter ido para intervalo com o 2 a 0 no placar. Quando o time era mais pressionado, o comandante resolveu tirar Cosendey, que estava jogando de 10, mas é volante de origem, tem o chute de fora da área e mais técnica do que o Wellington, para colocar Wagner. Mexida equivocada e incompreensível pelas circunstâncias. 

A substituição, aos 30 minutos do primeiro tempo, só piorou a equipe, que ficou mais engessada, muito por conta da noite ruim dos volantes Desábato e Wellington. O último, por sinal, faz um 2018 muito abaixo do que apresentou na reta final da última temporada. É falho na marcação, se enrola com a bola no pé e mais atrapalha do que ajuda. 

Na zaga, a volta de Erazo não deu certo. Edigar Junior, autor do segundo gol, não foi marcado por ninguém na área, mostrando a clara falta de entrosamento. Não só isso: foi o 17º gol de bola aérea da equipe em 45 tomados em 2018. Maior problema, disparadamente, do Vasco no ano. 

A característica do Vasco, desde o jogo diante da Chapecoense (1 a 1), tem sido primeiros tempos ruins e segundos infinitamente melhores. Mas contra o Bahia, nada mudou: no segundo tempo, Vinicius aproveitou a falha de Desábato, que errou na saída, e fez um belo gol. 3 a 0. Depois, já tarde, Zé tira Werley e coloca Kelvin e, no final, ainda ingressou com Andrey na vaga de Caio Monteiro. Ambas não surtiram efeito. 

O resultado é extremamente preocupante. A volta só acontece no dia 16 de julho, após a Copa e, pelo menos, o Vasco terá tempo para ter retornos importantes como Breno, Ramon, Giovanni Augusto e Thiago Galhardo. 

Os desfalques pesaram. O saldo ainda é positivo por esse treinador comandar e blindar um time que vive passando por dificuldades e tendo que lidar com situações externas. Mas, nesta noite, a "teimosia" de Zé Ricardo em insistir em Wellington e preterir os jovens como fez com Bruno Cosendey, 'inventar' com Werley na lateral direita quando o zagueiro vinha bem na sua posição de origem e ainda apostar na volta de Erazo foram determinantes para o placar desanimador na Bahia. 

Fonte: Esporte Interativo