Vasco emite nota pedindo respeito ao clube, e à Justiça

15/11/2017 às 17h20 - CLUBE

Como já dissemos, tudo tem limite. Passadas 24 horas desde a última manifestação, o Vasco da Gama vem a público novamente para pedir responsabilidade por parte dos meios de comunicação e adversários políticos, sem o que o único prejudicado será o clube.


Nos últimos dias, tem se repetido nos jornais um mesmo padrão: supostos sócios, falando em anonimato (portanto sem o peso da responsabilidade judicial de responderem pelo crime de calúnia) têm feito narrativas sobre supostas tentativas de aliciamento por parte da diretoria.
 

O próprio Vasco da Gama, o maior interessado na lisura do pleito, não foi procurado e nem tem conhecimento oficial dos fatos, o que revela parcialidade na ação de indivíduos que procuram primeiramente as autoridades sem cuidar de informar o clube, a comissão eleitoral ou o conselho deliberativo. Agora vão à delegacia informar fatos para colher um termo de declaração com o único objetivo de entregar aos jornais para criar uma aura de suspeição. A quem enganam?


Todos sabem que num colégio eleitoral limitado como um clube de futebol, o número de sócios votantes é uma preocupação de todas as chapas. É normal, portanto, que as chapas tentem fazer o maior número de sócios simpatizantes à sua causa. O Vasco da Gama não tem nenhuma responsabilidade nisso.


O Vasco não pode ser responsabilizado por nenhum desses movimentos que ocorrem por parte de todas as chapas. Há crime na obtenção de novos sócios? Não, desde que absolutamente dentro do que manda o Estatuto. Mas há crime na calúnia. Há crime na difamação. Há crime na tentativa torpe de travestir de ações ilegais o que na verdade são procedimentos lícitos, adotados por todos os envolvidos na disputa, dentro dos limites do estatuto do clube.


Tudo nas reportagens é feito para colocar uma capa de desconfiança, desonestidade e perigo onde há apenas uma disputa entre os que pretendem presidir o Vasco, o que é justo e lícito. Mas qual o interesse de jogar sobre a disputa uma aura de crime? A resposta é: querem criar uma onda fictícia na opinião pública com o objetivo de influenciar a Justiça.


Por isso, o Vasco da Gama, em nome de sua gigante tradição, vem a público pedir que cessem tais tentativas torpes e aparentemente orquestradas de difamação. Que se aguarde o resultado da decisão judicial nas ações em tramitação. E que se coloque a instituição acima de tudo e de todos.

Fonte: Site oficial do Vasco