Vasco entra com mandado de segurança para evitar perícia de votos da urna 7

05/12/2017 às 20h40 - POLÍTICA

A disputa judicial pela presidência do Vasco ganhou novo capítulo nesta terça-feira. Em uma corrida contra o tempo, o departamento jurídico do clube entrou com mandado de segurança para evitar que a perícia dos votos da urna 7 seja realizada. Decisão da 52ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio havia determinado que a análise da situação dos 475 votantes da urna sob suspeita de irregularidade tivesse início na última sexta-feira e o resultado fosse entregue até a próxima segunda-feira.

Defendido pelo escritório do advogado Sérgio Bermudes, a situação, encabeçada pelo presidente Eurico Miranda, alega que houve transgressão das normas processuais aplicáveis, deferimento de modalidade probatória não prevista no Código de Processo Civil, tolhimento do direito do Vasco de participar da produção da prova técnica, entre outras ilegalidades, e com isso solicita o fim do trabalho pericial.

Essa é a segunda investida do clube para evitar a realização de perícias que podem elucidar se houve ou não sócios em condição irregular votando na eleição do dia 7 de novembro. Duas semanas atrás, o Vasco conseguiu reaver o banco de dados que havia sido apreendido pela Justiça. A oposição acreditava que a perícia do disco rígido comprovaria a irregularidade no procedimento de associação. Entretanto, a derrota judicial fez com que o objeto voltasse ao Cruz-maltino sem que suas informações fossem analisadas.

O mandado de segurança com pedido de medida liminar deverá ser julgado pela desembargadora Márcia Ferreira Alvarenga, a mesma que já ordenou que os votos da urna 7 fossem contabilizados enquanto não houver definição quanto a validade dos mesmos.

Os votos da urna 7 decidirão o próximo presidente do Vasco. Se forem validados, a chapa de Eurico Miranda terá a maioria dos votos na eleição do dia 7 de novembro. Se não forem validados, a oposição encabeçada por Julio Brant será a vencedora.

Fonte: Extra Online