Vasco estima valor menor de cota de TV pelo Brasileiro-2019

04/05/2018 às 08h10 - CLUBE

A diretoria do Vasco estima que ganhará menos da metade do valor do Flamengo em cotas da Globo pelo Brasileiro-2019. A informação consta do balanço do clube alvinegro. O modelo de nova distribuição de cotas da emissora foi para reduzir diferenças entre times, mas o cálculo vascaíno é que a vantagem rubro-negra vai aumentar e atingir R$ 120 milhões. Além do modelo, pesa um aditivo ao contrato assinado pelo ex-presidente Eurico Miranda que reduz as cotas do clube cruzmaltino.

Atualmente, o Flamengo já é o clube com maior receita de televisão do Brasil, superando inclusive rivais de outros Estados. Em 2017, ganhou R$ 199 milhões com televisão, contra R$ 97 milhões do Vasco. Mas, neste caso, estão todas as receitas de televisão, incluído o Estadual do Rio em que os dois times recebem igual.

Em seu balanço, o Vasco detalhou todas as informações do contrato assinado com a Globo. Alguns dados básicos eram sabidos: serão pagos R$ 1,1 bilhão aos clubes. Desse total, serão 40% divididos igual, 30% por exibição e 30% por posição no campeonato. Isso fora o pay-per-view.

Nessa conta, a diretoria vascaína prevê que vai ganhar R$ 61 milhões pelos contratos de TV Aberta e Fechada. Outros R$ 34 milhões viriam do PPV, distribuído de acordo com o percentual da torcida de cada time.

A questão é que o documento tem uma estimativa de que o Flamengo abocanhe muito mais pelo Brasileiro-2019. “O maior rival deve passar a receber valores acima de R$ 220 milhões com o novo contrato, o que aumentará a diferença de arrecadação com esses direitos dos atuais R$ 70 milhões para cerca de R$ 120 milhões. Esses valores ainda são estimativas, mas parece inegável que a diferença de receita aumentou substancialmente”, afirma o documento.

A estimativa foi feita com base nas variáveis de PPV, de posições de tabela e exibições de tv, segundo o blog apurou. Além disso, leva em conta que as luvas do rubro-negro foram de R$ 120 milhões e dos vascaínos, de R$ 60 milhões. A diretoria vascaína entende que esses números podem variar, mas que certamente haverá maior vantagem rubro-negra.

O blog não conseguiu confirmar com a diretoria do time da Gávea se as estimativas vascaínas correspondem ao contrato rubro-negro. Mas dirigentes vascaínos tinham informações sobre as diferenças entre os acordos, além das condições gerais que são iguais a todos.

A Globo defende que o novo modelo tornou mais igualitária a distribuição de dinheiro entre clubes, ao estabelecer critérios de meritocracia como a posição no campeonato. Mas há o reconhecimento na emissora que certos fatores tornam diferentes os valores recebidos por cada um como o pay-per-view que é estabelecido pela adesão da torcida.

E há outro aspecto que reduziu as cotas vascaínas. O balanço relata que o ex-presidente Eurico Miranda assinou um aditivo ao contrato com Globo para estendê-lo que reduziu o valor total com a previsão de descontos. Na gestão de Miranda, o Vasco recebeu luvas extras de R$ 12,5 milhões que, na verdade, funcionavam como um empréstimo.

Então, o Vasco perderá durante três anos um total de R$ 36 milhões em descontos do contrato da Globo por causa dessas luvas/adiantamento feito por Eurico. Isso por conta dos juros do período em que o dinheiro foi pego, em 2016, até a época de desconto. Ou seja, o ex-presidente recebeu um dinheiro de forma antecipada que implica em uma perda do triplo do valor no futuro para o Vasco.

Fonte: Blog do Rodrigo Mattos - UOL Esportes