Vasco oferece tratamento para Valdiram

09/02/2018 às 08h15 - FUTEBOL

O drama de Valdiram, que virou morador de rua, conforme revelou o GLOBO, comoveu o mundo do futebol. Do lamento à solidariedade, não faltaram reações. Do Vasco, clube que o ex-atacante defendeu, ao técnico Renato Gaúcho, que o dirigiu em São Januário e hoje comanda o Grêmio.

A mais animadora veio de São Januário. O Vasco conseguiu viabilizar tratamento numa clínica de reabilitação.

— Vínhamos pensando em fazer programas estruturados, e não compensatórios, para estes ex-jogadores em situação delicada. O caso do Valdiram acabou precipitando isso — disse o vice-presidente social cruz-maltino José Pinto Monteiro.

Acompanhado de mais dois dirigentes, Monteiro percorreu Bonsucesso atrás de Valdiram para oferecer o tratamento (a internação não pode ser compulsória). Mas não o encontrou. Ele promete insistir. A ideia é submeter o ex-atleta, que sofre há anos com o alcoolismo e o vício em drogas, a uma bateria de exames clínicos (sangue, urina, pulmão). Caso nenhuma doença seja detectada, ele será encaminhado para a clínica.

O sindicato dos atletas de futebol do Rio (Saferj) está de olho no caso. O presidente da entidade, o ex-jogador Deninho, afirmou que acompanhará as movimentações do Vasco. Ele defende as medidas propostas pelo clube.

— É preciso conhecer de perto. Mas, pelo que pude ver, o caso dele é clínico. Não adianta só dar dinheiro — defende Deninho.

O trabalho social da Saferj, que orienta e emprega ex-jogadores, ganhou publicidade em 2013, quando ajudou o ex-lateral do Botafogo Perivaldo. Ele morava nas ruas de Portugal e foi trazido de volta ao Brasil.

— São situações diferentes — pondera Deninho. — Com o Perivaldo, não havia caso de drogas ou alcoolismo.

Mesmo quem conheceu de perto as limitações de Valdiram não deixou de se comover. Foi o caso do técnico Renato Gaúcho. Sob seu comando, no Vasco, o ex-atleta chegou à artilharia da Copa do Brasil de 2006.

— Ajudei muito o Valdiram no Vasco. Conseguimos recuperar ele, que foi muito importante na campanha da Copa do Brasil — recorda-se. — Da mesma forma que fiquei feliz em poder ajudá-lo, fico muito triste de ver que chegou nessa situação.

Valdiram foi titular no ataque vascaíno. Mas a indisciplina obrigou Renato a barrá-lo da decisão da Copa do Brasil, contra o Flamengo.

— Toda semana o multava. Cansei de dar conselhos. E usava essa multa não só para puni-lo, mas para tentar por juízo em sua cabeça.

Fonte: Agência O Globo