Vasco protege Henrique após perda de pênalti na final do Carioca

10/04/2018 às 13h26 - FUTEBOL

O último pênalti da final do Campeonato Carioca, no Maracanã, foi batido pelo lateral-esquerdo Henrique. A defesa de Gatito Fernández no lance deu o título ao Botafogo e jogou o mundo nas costas do jovem jogador do Vasco. Aos 23 anos, o estado psicológico do atleta é uma preocupação na Colina. A comissão técnica, liderada por Zé Ricardo, já trabalha para que o impacto seja o menor possível.

Um fator que pode ajudar é que Henrique disputa posição com Fabrício, que ficou com o papel de vilão do jogo por ter sido expulso ainda no primeiro tempo, deixando o Cruz-Maltino em situação delicada. Além disso, o lateral-esquerdo considerado titular absoluto, Ramon, ainda se recupera de uma cirurgia por conta de uma lesão no ligamento cruzado anterior do joelho direito. Sua previsão de retorno aos gramados é no mês maio.

O jovem Henrique perdeu o pênalti que deu o título carioca ao Botafogo (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

“Claro que o jogador fica chateado com a perda de um pênalti importante. O Henrique ainda é um menino e isso vai fazer parte do seu amadurecimento como profissional. Mas prefiro ir pelo lado que ele fez um bom trabalho ao longo dos noventa minutos, ainda mais diante de um adversário que iria forçar muito aquele lado no fim do jogo. O Henrique conta com minha confiança e vamos dar força a ele”, disse Zé Ricardo.

Passada a perda do Campeonato Carioca, o Vasco volta as suas atenções para o futuro. O próximo compromisso será a estreia no Campeonato Brasileiro, prevista para domingo, às 16h(de Brasília), diante do Atlético-MG, em São Januário, no Rio de Janeiro (RJ). O time para esta partida ainda vai ser definido ao longo da semana. Zé Ricardo segue com desfalques importantes para este compromisso, como os atacantes Paulinho, que se recupera de uma cirurgia no cotovelo esquerdo, e Rildo, suspenso pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJD-RJ) por conta da entrada violenta no meia João Paulo do Botafogo em duelo da Taça Rio, segundo turno.

Fora de campo, a diretoria não acena com a possibilidade da chegada de reforços, uma vez que a prioridade é colocar as finanças em dia e os compromissos com o elenco sem atrasos, o que sempre gera incômodo.

Fonte: Gazeta Esportiva