Vasco volta a "sobrar" na Série B, segundo análise

Em 25/09/2016 07:59
 

Com confiança e segurança, o Vasco não tem adversário na Série B. Isso ficou claro na vitória sobre o Atlético-GO, no sábado, em São Januário. Diante do vice-líder e único concorrente pelo título, o Cruz-Maltino teve atuação muito superior. Fez um gol cedo e depois controlou a partida, mostrando consistência que há tempos não se via na Colina. 

O curioso é que esta foi a primeira partida depois da eliminação na Copa do Brasil. O que poderia virar ressaca foi o contrário: a atuação de igual para igual com o Santos devolveu a confiança ao time. Sem as dúvidas e mexidas que o atrapalharam na já distante fase turbulenta da equipe, Jorginho fez o simples e colheu o resultado. 

Depois de flertar com o 4-3-3, o treinador retornou com o 4-4-2, com o meio-campo em losango, ora variando para o 4-2-3-1. Contra o Atlético-GO, todos em seus lugares: Nenê na armação, Andrezinho como coadjuvante de luxo, Éderson no comando do ataque, Jorge Henrique na ponta esquerda - Junior Dutra estava sentindo dores musculares e não atuou. O jogo fluiu. 

A diferença técnica ficou evidente. Andrezinho e Nenê tiveram vários lances de habilidade. Martín Silva foi pouco exigido. Faltou um pouco mais de força ofensiva, problema que vem desde o início do ano, mas nada que comprometesse. Na segunda etapa, especialmente, o time criou boas chances, mas desperdiçou a maioria até Éderson, de cabeça, fechar o placar.

Além de tudo, o Vasco ganhou outra opção. Depois de Douglas se firmar no meio, quem apareceu muito bem foi o lateral Alan Cardoso. Com 18 anos, o jovem da base deu o passe para o gol de Éderson e deve ganhar mais chances na reta final da Série B. Afinal, a partida diante do vice-líder mostrou que o acesso é questão de tempo.