Veja a posição do Vasco sobre torcida única em clássicos

16/02/2017 às 13h22 - FUTEBOL

Ainda sob o abalo do confronto que resultou na morte de um botafoguense no entorno do Estádio Nilton Santos antes do jogo entre Botafogo e Flamengo, no último domingo, o Ministério Público do Rio de Janeiro entrou com uma ação, na última quarta, pedindo que haja torcida única nos clássicos cariocas. A informação foi veiculada pela Rádio CBN.

Na ação, feita junto ao Juizado do Torcedor e Grandes Eventos, há também o pedido de proibição de distribuição de ingressos para torcidas organizadas por parte de clubes, CBF e pela Federação de Futebol do Rio de Janeiro. A exigência é que os bilhetes sejam vendidos apenas pelo preço de face.

O Ministério Público também exige que os quatro grandes clubes do Rio, a Ferj e a CBF façam o cadastro de todos os integrantes de torcidas organizadas. Por meio dessas informações seria possível proibir a entrada de determinadas pessoas nos estádios.

A medida vem sendo adotada em São Paulo e está longe de ser unanimidade no Rio de Janeiro. A Procuradoria Geral do Estado anunciou que vai recorrer da ação do MP. 

Veja o que os quatro grandes clubes do Rio de Janeiro pensam sobre o assunto:

BOTAFOGO

“Apesar de considerar que no último domingo houve um ponto fora da curva, pois o Gepe sabe fazer escolta, chegada e saída de organizadas, o Botafogo é favorável a experiências no sentido de melhorar as condições de segurança do futebol. Esse tipo de experiência, de torcida única, já deu certo em outros estados. 

O que o Botafogo não considera simples é ter a responsabilidade de cadastramento de membros de organizadas. É uma premissa quase impossível, porque os clubes não têm poder de fichar torcedores nem tem como controlar acesso a um local. Para o poder público, pode ser mais viável. 

Se for a decisão dos órgãos competentes, o Botafogo estará pronto para colaborar."

FLAMENGO

“Sou totalmente contra. Acho que isso seria uma pá de cal no futebol carioca e que não resolve o problema. As mortes vão continuar longe do estádio como quase sempre acontecem. Além disso, às vezes, acontecem conflitos entre torcidas do mesmo clube. A única solução é a punição rigorosa das pessoas físicas”, disse o presidente Eduardo Bandeira de Mello ao SporTV.

FLUMINENSE

“O Fluminense lamenta que devido a tantos episódios de violência tenha se chegado ao ponto de uma determinação de torcida única nos clássicos. O clube repudia qualquer tipo de violência e espera que essa medida não seja definitiva para que em breve possamos ter de volta a confraternização entre todas as torcidas nos estádios do Rio de Janeiro.”

VASCO

"A posição do Vasco é muito clara em relação ao Maracanã: o Vasco entende, e isso é uma decisão que está tomada, que clássico, para ter igualdade, deveria e deve ser jogado no Maracanã com 50% e 50%. Despesa e receita. Essa é a posição do Vasco. A única coisa que não aceito é essa conversa de que tem de ser de fulano, beltrano. Os caras não partem primeiro do princípio que quem discute isso da parte de clube não tem estádio. Quer participar de competição e não tem estádio", disse o presidente Eurico Miranda em entrevista recente.

Fonte: GloboEsporte.com