Vitória contra o Oeste não esconde oscilações na atuação vascaína

Em 11/09/2016 11:15
 

O Vasco voltou a vencer na Série B. O jejum de cinco jogos na competição acabou, o time retomou a liderança que havia perdido provisoriamente. Mas o triunfo por 3 a 2 sobre o Oeste não pode mascarar os problemas apresentados pela equipe. Se disposição não faltou, apesar das reclamações da torcida, ficou claro ao longo da partida que ao time cruz-maltino falta um modelo de jogo mais definido, algo que era bem mais claro no início da temporada.

O curioso é que o Oeste, derrotado, modesto 14º lugar no campeonato, é um bom exemplo. O jogo mostrou o contraste entre duas ideias. O time comandado por Fernando Dinzi foi superior ao longo da partida. Como visitante, trocou passes e terminou o duelo com 65% de posse de bola. Trocou 537 passes, contra 196 do Vasco. Em São Januário.

Desde o apito inicial, o Oeste jogou do mesmo jeito. O Vasco oscilou. Começou pressionando no ataque, com três atacantes e a esperança de que a troca de passes entre goleiro e zagueiros rivais provocasse um erro. Os gols vieram no brilho de Nenê, em cobrança de falta perfeita e em rara triangulação para finalização de Ederson. É impressionante como, mesmo com o coletivo aquém, uma atuação melhor do camisa 10 injeta confiança ao time.

Ao sabor da maré, o Vasco voltou completamente diferente no segundo tempo. Recuou demais e quis aproveitar os contra-ataques. Foi prensado, levou o empate e perigou tomar a virada. Com os chiados da torcida, lançou-se em busca da vitória no fim, desorganizado, mas com vontade sobrando.

Para Jorginho, as circunstâncias do jogo impediram que o Vasco mantivesse a mesma estratégia. O treinador evitou se dar por satisfeito com a atuação e preferiu exaltar o espírito de luta dos jogadores. De fato, a disposição dos atletas foi o principal fator para que o time saísse de campo com a vitória.

Yago Pikachu garantiu a festa. Mas o alerta segue ligado em São Januário. Passada a euforia inicial do gol heroico, haverá a lembrança de mais uma partida abaixo da expectativa. Do time que começou ofensivo, recuou, depois tentou tirar o prejuízo. No momento, Jorginho tem dose de razão ao dizer que o importante era a vitória. Agora, com mais tranquilidade, poderá trabalhar para que o time recupere o bom futebol.