Volante Andrey quase desistiu da carreira na adolescência

Em 30/09/2016 09:14
 
AndreyAndrey
Foto: Paulo Fernandes / Vasco.com.br

Uma das principais promessas da base do Vasco, Andrey quase desistiu do futebol ainda na adolescência. Com 15 anos, o volante sofreu grave lesão no ligamento cruzado do joelho direito, ficou sete meses parados e pensou em largar o sonho. Depois de muita conversa com o pai, André, perseverou. Recém-promovido aos profissionais do Cruz-Maltino, ele vive a expectativa de ser relacionado para a partida contra o Náutico, neste sábado, em Pernambuco.

- Ele subiu de cabeça num jogo contra o Fluminense e se machucou. Passou por cirurgia, ficou bem triste. Até pensou em parar de jogar bola. Na época, o apoiamos. Conversamos com ele a respeito, e ele foi ficando mais tranquilo. Fazia fisioterapia no Vasco o dia todo e depois ficava com os amigos. Foi quando se converteu, virou evangélico. Colocou a cabeça no lugar e quis dar continuidade – lembra André.

Integrante da badalada geração de jogadores nascidos em 1998, tida como das mais promissoras do clube, Andrey teve poucas chances durante o ano. Apesar de ter feito a pré-temporada com os profissionais, atuou em apenas dois jogos, totalizando 55 minutos. A lesão de Marcelo Mattos abriu brecha para o jovem.

Na base, Andrey tem história de respeito. Logo após se recuperar da grave lesão, ele voltou a se destacar. Em 2014, pouco depois de retornar aos gramados, foi convocado para a seleção brasileira sub-15. No ano passado, disputou o Sul-Americano e o Mundial da categoria sub-17. Em 2016, chegou a ser chamado para um período de treinos com a sub-20.

Talento de família

A trajetória de Andrey é a realização do sonho do pai. André teve de abrir mão da carreira ainda nos juniores para poder sustentar a família. Com o filho, tenta dar todo o apoio para que o menino possa vingar.

- É genética. A família toda tem talento. Meu pai chegou a ser profissional na Paraíba. Eu tentei jogar nos juniores do Bangu, em 1990, mas meu pai faleceu. Somos cinco irmãos, eu era o único homem, e tive que parar de jogar para trabalhar. Com o Andrey, sempre tive esse pensamento de apoiar de todas as maneiras. Tudo que fiz, procurei fazer diferente com ele.

A chance de Andrey pode estar perto de aparecer. Integrado aos profissionais, o menino aguarda oportunidade na reta final da Série B. A inspiração está em Douglas, companheiro de base que aproveitou os minutos oferecidos e hoje é titular absoluto.

- O Andrey tem que ter atitude do Douglas. Quando o Douglas entrou, não se deixou abater, fez o jogo dele, o que sabe. Converso com o Andrey sobre isso: ter tranquilidade, a cabeça no lugar – completou André.

A primeira oportunidade pode se concretizar nesta sexta-feira, quando a comissão técnica vai decidir quem será relacionado para o jogo contra o Náutico. Andrey chegará a São Januário com tudo pronto, à disposição para agarrar a chance.