Zé admite que foi procurado após saída do Vasco

12/06/2018 às 00h00 - FUTEBOL

Em entrevista ao canal Esporte Interativo, na noite desta segunda-feira (11), o técnico Zé Ricardo explicou os motivos que motivaram o seu pedido de demissão no Vasco, no dia 2 de junho, instantes após a derrota por 2 a 1 no clássico contra o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro.

Apesar de ressaltar que recebeu apoio de elenco e diretoria, a saída do clube era a melhor opção para ambas as partes, já que os resultados em campo não estavam aparecendo nesta temporada. 

"Não foi fácil, na verdade foi bem difícil, mas a resposta é muito simples: é um desgaste bem pessoal, comigo mesmo. Mas realmente estava bastante desgastado, percebi em determinado momento que aquilo que eu estava dando não era o que o Vasco precisava. Conversei com o presidente [Alexandre Campello] de forma bem tranquila, ele tentou me demover da ideia, mas não conseguiu. O Vasco precisava de alguém que tivesse a mesma energia que eu tinha quando cheguei ao clube", disse.

"A gente teve um passado ruim de atraso salarial, mas os jogadores mantiveram a ideia da comissão técnica, do clube, a minha ideia, mantendo o respeito e o amor à camisa ao Vasco. Depois, tivemos um presidente, outro presidente, dois presidentes, nenhum presidente, até três presidentes... (risos) Então, foi uma situação chata", continuou Zé Ricardo, citando também a conturbada eleição presidencial do Vasco.

Sobre novos desafios como treinador, ele comentou sobre uma sondagem do Bahia, que recentemente demitiu Guto Ferreira, mas disse ter sido procurado por um clube asiático, no início desta temporada.

"Não foi uma proposta, foi uma sondagem. Meu representante disse que tinha três ou quatro técnicos que eles iriam discutir, e o meu nome estava neles. Infelizmente, vazou. Quando isso aconteceu, conversei com os árabes e perguntei se eles tinham uma decisão naquele momento, e eles falaram que ainda estavam no processo seletivo. Como não tinham definido, não quis sair. Mas a proposta financeira era excelente, e se chegasse, com certeza estaríamos fazendo esta mudança", contou.

"[O Bahia] é um grande clube, senti na pele o potencial. Do meio para frente, é um time de muito poder de fogo. Por ora, sondagem que recebi foi de um outro clube árabe, aqui no Brasil não teve nada. Não tem nada definido na minha vida", finalizou Zé Ricardo.

Fonte: UOL Esporte