Zé Ricardo espera 2018 de sucesso no Vasco

21/02/2018 às 12h22 - FUTEBOL
Foto: Vasco.com.br zé ricardo
zé ricardo

O início deste ano foi muito conturbado no Vasco: eleição presidencial, conflitos poltícos e falta de dinheiro tornaram tudo mais difícil. Mas dentro de campo a equipe conseguiu se superar e faz uma campanha impecável na Libertadores: 100% de aproveitamento, com dez gols marcados e nenhum sofrido. Nesta quarta, com a vantagem de poder perder por até três gols de diferença, os cruz-maltinos enfrentam o Jorge Wilstermann, em Sucre, às 21h45, com a chance de classificação para a fase de grupos.

O grande comandante é o técnico Zé Ricardo, que lembrou dos problemas enfrentados em meio à tentativa de blindar o elenco. Foram saídas de atletas importantes, como Nenê, Luis Fabiano e Anderson Martins, atraso de salários e ameaça de não viajar para o Chile por falta de pagamento das passagens.

- Foi um ponto delicado na preparação. Quando você sai de férias, normalmente tem um esboço. Mas aconteceram coisas que saíram do nosso controle por causa de questões políticas. Perdemos jogadores importantes e tivemos pouco tempo para trabalhar a equipe, mas é aí que o trabalho a longo prazo começa a surtir efeito. O Ricardo praticamente não jogou comigo ano passado. Mas teve a oportunidade depois que o Anderson Martins saiu. O trabalho passa por aí. Manter a base do elenco nos favoreceu.

O sucesso do time passa também pelo surgimento e afirmação de jovens jogadores revelados no clube, como Paulinho, que já era titular desde o ano passado, e Evander, Henrique e Ricardo, que ganharam espaço. Para Zé, existe uma satisfação especial.

- Sem dúvida. E a torcida também tem a satisfação de saber que aquele atleta nasceu no clube. Cada um tem o seu timing. O Ricardo está com 21 anos, o Paulinho 17... O Henrique (23) precisou de um tempo maior de maturação, precisou ser colocado nele uma responsabilidade grande, dizer que ele era o titular e ia jogar. Ele absorveu isso. O Thiago Galhardo, de 28 anos, teve oportunidades, mas a maturação dele foi mais tarde. Precisou sair, jogar no Japão e voltar com outra cabeça. É muito legar ver esses atletas prontos para jogar.

No ano passado, Zé Ricardo teve a oportunidade de disputar a Libertadores pelo Flamengo. Seu time venceu todos os três jogos em casa, mas não pontuou fora e acabou eliminado ainda na fase de grupos. O treinador acredita que a experiência lhe deixa mais preparado.

- Sem dúvida é bom. Você vai ser um profissonal melhor com a experiência. Não me arrependo das decisões tomadas, mas elas trazem ensinamentos. Lógico que vamos refletindo. Nada contra as críticas, me dou bem com elas, fazem parte do crescimento, evolução. Espero que a gente consiga classificar não só para a fase de grupos mas ter uma temporada de sucesso.

Nesta quarta-feira, a estratégia de Zé Ricardo para superar o Jorge Wilstermann e a altitude é não mudar a maneira de jogar, sem subestimar o adversário.

- Queremos fazer um jogo dentro do nosso equilíbrio, da nossa maneira de jogar, assim como fizemos até agora. Nosso adversário tem disputado a Libertadores e provado que dentro da Bolívia é muito perigoso. A atenção é total - finalizou.

Vasco e Jorge Wilstermann se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no estádio Olímpico Patria.

Fonte: GloboEsporte.com