Promessômetro: Campello

PRINCÍPIOS PARA A TRANSIÇÃO TRANSPARENTE

  1. Contratação de Due Diligence qualificada para diagnóstico do volume e perfil real da dívida do clube, bem como o conjunto de ações e passivos judicias que podem representar perdas financeiras. Gestão do risco do passivo e lançamento contábil de perdas e obrigações futuras, bem como seus impactos nos orçamentos específicos;
  2. Após a Due Diligence, sabendo a real condição financeira em detalhes, aprovação em 30 dias do Plano Financeiro de Emergência para o primeiro Semestre da nova gestão;

PRIORIDADES

A Frente Vasco Livre estabeleceu NOVE prioridades estratégicas que nortearão sua gestão no triênio 2018-2019-2020. Pensadas com o intuito de tirar o Vasco do atraso e impulsioná-lo ao século XXI, tais prioridades foram discutidas por um comitê altamente capacitado e desmembradas em 36 ações pontuais.

Eis as NOVE prioridades estratégicas:

1 – RESGATE DO RELACIONAMENTO COM A TORCIDA E SÓCIOS
2 – EQUILÍBRIO FINANCEIRO
3 – FUTEBOL COMPETITIVO
4 – GESTÃO MODERNA E PROFISSIONAL
5 – TRANSPARÊNCIA
6 – FORTALECIMENTO CONTÍNUO DA IMAGEM DO CLUBE
7 – VALORIZAÇÃO DO PATRIMÔNIO
8 – EXPANSÃO DAS RECEITAS COMERCIAIS
9 – VALORIZAÇÃO DOS DEMAIS ESPORTES

RESGATE DO RELACIONAMENTO COM A TORCIDA E SÓCIOS

O Vasco da Gama é um gigante no desporto nacional e internacional, com uma torcida enorme, apaixonada, e uma linda história. Natural, portanto, que o maior legado a ser deixado pela próxima gestão seja o resgate do relacionamento com seus torcedores e sócios.

  1. Lançar novo Programa de Sócios: O intuito é aumentar a arrecadação e explorar as características de torcida nacional do Vasco. O plano de marketing orientará a construção das experiências proporcionadas por cada plano de forma específica, dando diversas oportunidades ao torcedor de demonstrar e vivenciar sua paixão pelo clube;
  2. Lançar o Projeto de Casas e Embaixadas de Vascaínos: O objetivo é estreitar o relacionamento do clube com seus torcedores em todo o território nacional, visto que mais de 70% dos vascaínos espalhados pelo Brasil estão fora do estado do Rio de Janeiro;
  3. Democratizar as Eleições: Queremos proporcionar que o verdadeiro dono do Vasco, sua torcida, colabore na escolha do novo gestor do clube. Vamos avaliar a pertinência e a viabilidade da votação eletrônica.

PRINCÍPIOS PARA AMPLIAR A EXPERIÊNCIA DE PAIXÃO DO TORCEDOR

  1. Readequação do Programa de Sócio-Torcedor com foco em segmentação de expressões e necessidades dos diversos grupos de torcedores vascaínos. O plano de marketing orientará a construção das experiências proporcionadas por cada plano de forma específica, dando diversas oportunidades do torcedor demonstrar e vivenciar sua paixão pelo clube;
  2. Tornar o canal de ouvidoria e comunicação direta com os sócios-torcedores mais operacional e transparente para receber e apoiar iniciativas dos próprios sócios-torcedores que visem o desenvolvimento da paixão pelo Vasco;
  3. Ação ativa institucional junto aos demais clubes do Rio de Janeiro e instituições reguladoras (MP, PM…) no sentido de criação e desenvolvimento de uma cultura de Paz no Futebol;

EQUILÍBRIO FINANCEIRO

A atual gestão deverá deixar o Vasco com uma dívida acima dos R$ 500 milhões, um déficit financeiro na ordem de R$ 60 a R$ 70 milhões por ano, gastos com a máquina administrativa de mais de R$ 200 milhões, receitas decrescentes e perspectivas de redução da principal receita, que são as cotas de TV. Por isso, o equilíbrio financeiro é fator chave para o próximo triênio.

  1. Criar Planejamento Estratégico e Controladoria: Todas os departamentos do clube devem ser acompanhados pela sua dotação orçamentária tanto para as receitas quanto para gastos e investimentos, de forma a tornar o Vasco sustentável financeiramente no curto, médio e longo prazos;
  2. Renegociação das Dívidas: Objetivo é reduzir os juros, alongar os prazos e obter o perdão parcial de alguns débitos;
  3. Aumento da Arrecadação: Recuperando a credibilidade e a transparência, o clube pode criar novas fontes de receita, a partir de um remodelado e expandido plano de sócios e da captura de novas receitas na área comercial;
  4. Racionalização dos Gastos: Será feito através de rigoroso mapeamento de processos em todas as atividades do clube e análise do preço unitário de 100% dos contratos.

FUTEBOL COMPETITIVO

Mesmo considerando as imensas dificuldades a serem enfrentadas, é essencial que a próxima gestão consiga, de início, um bom nível de competitividade no futebol, apoiado em organização da atividade profissional e na base.

  1. Construir infraestrutura para modelo baseado em performance: O Big Data já é uma realidade no futebol para tomar decisões confiáveis e estratégicas e identificar riscos e oportunidades. Por meio de diversos dispositivos, as informações serão integradas no intuito de obter estatísticas avançadas que permitem um melhor acompanhamento dos atletas por parte de comissão técnica e gestores;
  2. Viabilizar Centro de Treinamento: Trata-se de uma ação extremamente necessária para melhorar o desempenho na formação dos jogadores e na preparação do futebol profissional;
  3. Intensificar a utilização da base: Valorizar a base é valorizar o mais importante ativo do Vasco. Obter o Certificado de Clube Formador (CCF), respeitando determinados requisitos exigidos, também será prioritário. Dos grandes clubes do Rio, o Vasco é o único a não possuir o documento concedido pela CBF e que permite uma série de benefícios – entre eles, o de proteger os jovens atletas de interesses de outros clubes;
  4. Implantar decisões colegiadas por alçadas: Comitês Deliberativos serão formados com a responsabilidade de observar todos os aspectos técnicos, financeiros e jurídicos relevantes, proporcionando maior transparência e qualidades nas principais negociações do Vasco.

PRINCÍPIOS PARA UM FUTEBOL VITORIOSO

  1. Como fruto do contínuo esforço de responsabilidade fiscal e redução de endividamento bruto, dotar o futebol profissional com um orçamento anual no nível de grandeza da torcida vascaína;
  2. Estrutura profissional de gestão com autonomia de tomada de decisões, sempre orientada em seus objetivos estratégicos pela Presidência, Vice-Presidências e Conselhos;
  3. Profissionalização das atividades de suporte ao alto rendimento, incluindo modernização de equipamentos e metodologias nos setores de Medicina Esportiva, Preparação Física, Fisiologia do Esporte, Nutrição, Psicologia Esportiva, Logística…;
  4. Integração destas disciplinas em um Centro de Treinamento (CT) de alto desempenho, dotado ainda de estrutura de hotelaria que sirva de concentração para a equipe profissional;
  5. Integração do Futebol Profissional com as categorias de base, profissionalizando tanto a estrutura de treinamento e formação em função das necessidades do time profissional, bem como implementando as ações gerenciais de retenção de talentos para que possam dar retorno desportivo ao clube;

GESTÃO MODERNA E PROFISSIONAL

Chegou o momento de dar fim à arcaica, ineficiente e monocrática gestão atual do Vasco. É imperativo que uma das prioridades seja a completa reformulação, em todos os setores, da forma de administrar o Vasco.

  1. Revisar a Estrutura Administrativa e Gerencial: Objetivo é rever os processos para gerar maior eficiência e transparência no desempenho da máquina administrativa;
  2. Utilizar conhecimento de profissionais vascaínos qualificados e valorização dos funcionários do clube: Desde que carreguem no currículo a experiência e competência necessárias, é muito bem-vinda a participação de ilustres vascaínos que desejam dividir com o clube seu conhecimento em áreas estratégicas. Muitos dos atuais funcionários têm qualidade e são comprometidos com o clube, mas, a exemplo do que acontece em qualquer grande empresa, precisam se reciclar profissionalmente de tempos em tempos;
  3. Implantar Sistemas Integrados (ERP): Vital para dar maior segurança às informações do clube e também para proporcionar melhor gerenciamento dos recursos, a exemplo do que ocorre em corporações de sucesso;
  4. Criar Comitê para Desenvolver o Planejamento Estratégico: Nesse processo são envolvidos todos os vice-presidentes, que avaliam e discutem pontos estratégicos (negociação das cotas de TV, priorização de projetos, internacionalização da marca, etc.…).

PRINCÍPIOS DA GESTÃO PROFISSIONAL

  1. A presidência eleita, seus vice-presidentes, tendo como suporte os conselhos do clube, serão responsáveis pelas orientações estratégicas e decisão dos rumos a serem seguidos;
  2. A implantação destas decisões estratégicas ficará a cargo de profissionais remunerados, selecionados em processos transparentes, com comprovada competência em suas áreas de atuação. Será vedada a prática de Nepotismo;
  3. A Gestão Financeira será feita de forma transparente, com utilização de práticas contábeis internacionais auditadas, tendo como objetivo o respeito aos orçamentos previamente aprovados;
  4. A Gestão de Passivos será planejada de forma a obter uma constante redução do nível de endividamento do clube que permita sua viabilidade econômica permanente e aumento de seus investimentos no futebol;
  5. Foco na introdução de uma sólida política de Compliance, com ações de fiscalização permanente sobre ações administrativas de forma a garantir que atendam os mais firmes requisitos de Transparência e Ética;

PRINCÍPIOS DA GOVERNANÇA

  1. Comprometimento com os princípios fundamentais da Governança Corporativa: Transparência, Equidade, Prestação de Contas e Responsabilidade Corporativa, sendo esta amarrada em suas três dimensões: econômica, ambiental e social, no intuito de potencializar a Sustentabilidade da Instituição;

TRANSPARÊNCIA

O Vasco atual é uma enorme caixa preta, o que resulta em baixa credibilidade junto a investidores potenciais. A inexistência de transparência vale para as demonstrações contábeis, para os valores envolvidos nas transações do futebol, no contato com a imprensa, em relação a seus eleitores e para qualquer outro aspecto relevante do clube.

  1. Contratar auditoria externa de 1ª linha: Objetivo é focar no volume e perfil real da dívida do clube, bem como no conjunto de ações e passivos judiciais que podem representar ganhos financeiros. A prática é assumir as responsabilidades da gestão anterior e demonstrar uma “virada de página” no nível de transparência;
  2. Criar Controladoria para analisar e monitorar os processos internos: Com foco na revisão dos atos jurídicos, a meta é demonstrar a importância que a nova gestão dá aos recursos que o clube possui;
  3. Tornar efetiva a Ouvidoria: É preciso que a comunicação direta com os sócios e torcedores seja mais operacional para receber e apoiar iniciativas dos próprios vascaínos;
  4. Apresentar relatórios financeiros periódicos: Ato que visa demonstrar a Governança e maior respeito aos sócios e sociedade, possibilitando a integração dos mesmos com as decisões que estão sendo tomadas pelo clube.

FORTALECIMENTO CONTÍNUO DA IMAGEM DO CLUBE

A imagem do Vasco vem sendo extremamente depreciada nos últimos anos por uma série de notícias desabonadoras, como truculência da atual diretoria com sua própria torcida; briga com patrocinadores; cerceamento da atuação dos veículos de imprensa; nepotismo; entre outros pontos. A desvalorização da imagem do clube acarreta prejuízos de diversas naturezas para a instituição, tais como: menor arrecadação com patrocínios, má vontade da mídia e afastamento da torcida.

  1. Abrir canal profissional para relacionamento com a mídia: Todos os veículos serão tratados com o devido respeito e profissionalismo, desde que também respeitem o clube em todas as suas esferas. Esse é o caminho para inverter a imagem negativa que o Vasco tem perante os veículos de comunicação;
  2. Desenvolver um Plano de Marketing com empresa especializada: Um dos objetivos será valorizar a história vascaína construindo um Museu do Vasco da Gama financiado 100% através de leis de incentivo à cultura e a leis de incentivo audiovisual;
  3. Fortalecer a Marca por meio de ações de marketing dirigido: Estabelecer parceria com a Riotur para incluir São Januário como roteiro obrigatório de turismo, por conta de sua contribuição para a história do futebol carioca, e sofisticar a experiência da visita guiada. Vamos ampliar a atividade social nas sedes, resgatando eventos como o “Baile do Almirante”, Festas Juninas, Dia de São Januário, entre outras;
  4. Resgatar o Mito das Camisas Negras em São Januário: Criaremos ações que fortaleçam a mística da história do clube e reforcem a identidade e sentimento de pertencimento dos torcedores com a camisa que vestem;
  5. Valorizar a História Vascaína: Resgatar o orgulho vascaíno com a criação de documentários que eternizarão nossas conquistas e irão relembrar ações como a resposta histórica de 1924 (quando o clube, vítima de racismo, se negou a filiar-se à recém-criada Associação Metropolitana de Esportes Atlheticos) e a contribuição do Club de Regatas Vasco da Gama na II Guerra Mundial.

VALORIZAÇÃO DO PATRIMÔNIO

A Frente Vasco Livre irá buscar soluções que permitam tornar o patrimônio do Vasco em referência no Rio de Janeiro e no Brasil, atentando-se à inclusão e à responsabilidade social, a exemplo do que foi feito de maneira pioneira no passado.

  1. Criar programação para utilizar as Sedes do Calabouço e da Lagoa: As duas sedes têm ótima localização, algo que será levado em conta nos projetos que iremos desenvolver para que ambas se tornem atrativas para os sócios e gerem lucros para o clube;
  2. Aperfeiçoamentos na estrutura de São Januário: Por meio de parcerias com entidades da Sociedade Civil, serão desenvolvidas propostas para tornar São Januário um estádio moderno, acessível e ambientalmente sustentável;
  3. Atuar junto aos órgãos governamentais para melhorar entorno: Em um debate com o poder público, serão discutidas as melhores soluções para toda a região de São Januário, aperfeiçoando as disciplinas de urbanização e transportes, de maneira a tornar o estádio uma âncora para toda a revitalização do bairro Vasco da Gama;
  4. Maximizar a experiência nas dependências de São Januário: Ampliação das áreas de serviços (restaurantes e lojas) que propiciem melhor experiência ao torcedor durante os jogos (e, como consequência, aumentem a receita) e receitas contínuas fora dos horários dos jogos; ampliação do estacionamento.

PRINCÍPIOS PARA O CUIDADO PATRIMONIAL

Junto com a construção do CT, a prioridade em curto prazo é a revitalização do Estádio de São Januário:

  1. Ampliação das áreas de Serviços (Restaurantes e Lojas) que propiciem melhor experiência ao torcedor, maior receita durante os jogos, receitas contínuas fora dos horários de jogos e luvas contratuais que financiem parte da revitalização do estádio;
  2. Ampliação do Estacionamento e Construção de Operações Logísticas com a prefeitura para facilitação de acesso ao Estádio;
  3. Fazer o estudo de viabilidade técnica e econômica para soluções de acessibilidade nas diferentes Sedes para vascaínos com necessidades especiais;
  4. Debruçar-se sobre a possibilidade técnica e econômica para a utilização de energia solar e soluções de reuso de água em São Januário.

EXPANSÃO DAS RECEITAS COMERCIAIS

Como consequência natural de uma administração ineficiente e sem transparência, o Vasco viu suas receitas com patrocínios esportivos, licenciamento de lojas com produtos oficiais, entre outras de natureza comercial, reduzirem drasticamente. Expandir as receitas comerciais é obrigatório para que o Vasco volte a respirar nos próximos anos.

  1. Aumentar as receitas com o Patrocínio com o Resgate das Marcas: A partir do momento em que o Vasco for administrado com competência e transparência, melhorar sua imagem junto à mídia (gerando notícias positivas) e respeitar os contratos, irá, naturalmente, recuperar a credibilidade no mercado. Somado à condição de clube nacional, conseguirá arrecadar, dos patrocinadores, receita coerente com seu gigantismo;
  2. Incentivar o programa de franquia de lojas combinado com lojas próprias: Criar e fazer com que estas lojas se transformem em uma sede avançada – especialmente em outros municípios. O combate à pirataria e o incentivo ao consumo de produtos licenciados também será uma das prioridades.

VALORIZAÇÃO DOS DEMAIS ESPORTES

A atuação do Vasco em esportes como o remo, basquete, natação, entre outros, sempre foi historicamente importante e deve, claro, ter continuidade. O que queremos é que estes esportes sejam autossuficientes, ou seja, não funcionem custeados com recursos do futebol, por exemplo.

  1. Apoiar Remo com destinação de recursos orçamentários: Como Club de Regatas, o remo deverá receber atenção especial da nova gestão. Por isso, os recursos para torná-lo novamente forte (o último título carioca foi conquistado em 2008), ao menos em um primeiro momento, estarão incluídos no orçamento do clube;
  2. Apoiar Basquete com destinação de recursos orçamentários: O Vasco tem enorme tradição no basquete, tendo conquistado inúmeros títulos estaduais (16, sendo o último em 2001), dois títulos brasileiros (2000 e 2001) e duas Ligas Sul-Americanas (1999 e 2000). Por isso, o mesmo caso do remo se aplica ao basquete;
  3. Apoiar o Atletismo com destinação de recursos orçamentários: “No Atletismo és um braço… O esporte está no hino do Club de Regatas Vasco da Gama e merece atenção da futura gestão, ainda que não consiga se manter, em um primeiro momento, autossustentável;
  4. Apoiar demais esportes com patrocínios e incentivos fiscais: O Vasco precisa se beneficiar da clara estrutura tributária brasileira para incentivar os demais esportes e obter patrocínios pontuais que auxiliem na sustentação financeira dessas atividades, sejam elas quais forem.
  5. Contribuição de cotas voluntárias: Os sócios poderão destinar através de uma cota extra voluntária da sua mensalidade recursos para o seu esporte favorito.
  6. Demonstração de cada esporte como centro de resultado: O clube se compromete a demonstrar cada esporte como um centro de resultado (receitas e investimentos associados), assim como o montante de receita oriunda das cotas extras dos sócios.

PRINCÍPIOS DA PRÁTICA DEMOCRÁTICA

  1. Ampliação do colégio eleitoral com o aperfeiçoamento das modalidades existentes e a criação de diferentes modalidades de sócios votantes que representem de forma mais fiel seus milhões de torcedores; a Frente Vasco Livre tem o compromisso em não mexer em nada que afete o direito adquirido do sócio;
  2. Clube aberto a todos os seus ídolos e a todas as tendências e movimentos que queiram expressar sua paixão pelo Vasco;
  3. Limitação da possibilidade de reeleição presidencial a apenas um mandato, consecutivo ou não;
  4. Exercício profissional do poder interno, respeitando as diversas tendências dentro do Clube e as competências dos gestores profissionais de cada área;

Alguma promessa foi cumprida ou não? Entre em contato com o SuperVasco clicando aqui e nos avise para que possamos atualizar esta página!