Dinamite se coloca à disposição para ajudar o Vasco

02/11/2018 às 09h12 - POLÍTICA

Maior ídolo da história do Vasco, o ex-atacante Roberto Dinamite ousou em 2008 ao concorrer e vencer as eleições para a presidência do clube, que na época vivia grave crise financeira. Em entrevista ao canal Rap 77, no Youtube, Dinamite relembrou as dificuldades que teve no cargo, já que teve que herdar dívidas de gestões anteriores.

“Não é fácil. A maioria dos clubes brasileiros ainda vive de um passivo. Você tem que administrar o teu período com o passivo lá de trás, com o que foi deixado. Então você não vai administrar o seu período de três anos. Entrei em 2008 e tive que administrar algo de 2000 e 2001. Eram coisas que não cabiam na minha administração. Ou eu pagava (as dívidas) ou algo seria penhorado”, disse Dinamite, que logo em seguida citou os jogadores que cobravam o recebimento de valores que o clube devia.

“Tive que pagar Júnior Baiano, Viola, Euller, Donizete, jogadores contratados em gestões anteriores. Não é negócio de R$ 100 mil e R$ 200 mil. Uma coisa que aconteceu em 2000, você vem para 2008 e 2009….”, completou.

Dinamite contou que se arrependeu por ter concorrido ao segundo mandato. Ele se reelegeu em agosto de 2011 e comandou o clube até 2014. A disputa por poder o decepcionou.

“Eu só me arrependo de não ter saído no primeiro mandato. Quando foi falado em união do Vasco para uma segunda eleição, eu achei legal. Na época se falou em Jorge Salgado para compor a situação.  Eu só me arrependo de ter ido ao segundo mandato. O futebol te prende muito ao resultado. Quando você fala em gestão, você pensa no presidente, mas tem outros cargos como diretor financeiro. Na minha época tinha Nelson Rocha, você tinha pessoas do marketing qualificados. O grande problema que vejo no Vasco é que existe um interesse interno. Em vez de você somar para ajudar naquele momento que precisa, as pessoas tentam te sufocar”, explicou ele, que se colocou à disposição para ajudar o clube, desde que não seja para criar polêmica.

“Hoje eu me coloco assim: Se for alguma coisa para ajudar o Vasco, eu vou. Se a minha presença for para criar um atrito, eu prefiro ficar em casa vendo o jogo”, disse ele, que defendeu o seu trabalho na presidência vascaína.

“Peguei o clube numa situação com 10 anos sem patrocínio, botamos patrocínio, acertamos a parte trabalhista e o clube conseguiu trazer receita. O Vasco, de 2011, tinha Fernando Prass, Fagner, Dedé, Anderson Martins, Ramon, Diego Souza, Alecsandro, Éder Luís. Se colocassem esse jogadores hoje, o time seria competitivo“, declarou.

Com Dinamite no comando, o Vasco conseguiu o título da Copa do Brasil de 2011 e o Campeonato Brasileiro da série B em 2009.

Foto: Globoesporte.com Dinamite e Campello
Dinamite e Campello

Fonte: Torcedores.com