Klauss Câmara fala sobre possível ida para o Vasco

30/12/2017 às 09h47 - CLUBE

Graduado em Educação Física, com especialização em Gestão e Marketing Esportivo, o diretor de futebol do Cruzeiro é cotado para assumir o cargo no Vasco, se Julio Brant assumir a presidência do clube. Com 37 anos, Klauss trabalha no futebol a 12 anos e já passou por Figueirense, Atlético Paranaense, Fluminense e Cruzeiro. 

Klauss concedeu entrevista ao Lance!Net, falando sobre possível ida para o Vasco. Confira:

Você trabalhará no Vasco em 2018? 

Foi uma sondagem, nada oficial. Recebi apenas uma sondagem por meio do Felipe (NR: ex-jogador e ídolo do Vasco, que está apoiando a chapa de Julio Brant). Mas é um grande prazer ter meu nome ligado a um clube como o Vasco, um gigante do futebol brasileiro. Isso é fruto de um bom trabalho que eu fiz no Cruzeiro. Seria uma grande satisfação poder representar um clube tão grande, poder contribuir com o crescimento, ajudar a montar a equipe, trabalhar com grandes profissionais ao redor. 

Como você vê a função de diretor de futebol dentro dos Clubes?

É uma função imprescindível dentro de um organograma responsável de um clube de futebol, tendo em vista que o Diretor Executivo é o grande responsável por definir a visão do futebol, o modelo de gestão e criar processos nas diversas áreas sendo o responsável pelo controle e monitoramento de cada um desses processos.

Como você vê o futuro dessa profissão?

Estritamente necessário para o nosso futebol, já que há 20 anos não existia análise de desempenho, informática, internet, comunicação, os departamentos médico e de fisiologia não eram tão desenvolvidos, a base não tinha um contrato de formação para os atletas, então não necessitava de uma pessoa com dedicação integral para fazer tudo isso. Por isso hoje necessita de um Diretor para fazer tudo isso.

Como pode melhorar a atuação dos clubes com o trabalho do diretor de futebol?

O Diretor Executivo é o grande responsável por todos os processos dentro do departamento. Sem ele, o futebol dentro do Clube não se desenvolve. Além de 
ser o responsável pelas contratações, negociações e renovações dos contratos dos atletas, ele representa o Clube nas entidades esportivas (federações, 
confederações, entre outros), sendo o porta-voz da instituição em todos os assuntos relacionados ao futebol, dentre várias outras funções determinantes para o fortalecimento da instituição.

O que ainda precisa ser feito?

O principal é a regulamentação da profissão de Executivo de futebol no Brasil definida, assim, os critérios de atuação e, consequentemente, a capacitação de novos profissionais no mercado.

Foto: lanceklauss

Fonte: SUPERVASCO.COM

Enquete

Você é favorável ao retorno de Antônio Lopes no cargo de dirigente?

Deixe seu comentario