Opinião: Martin deixa o Vasco na "hora certa", mas clube fica carente

17/12/2018 às 18h51 - FUTEBOL

Quando Martín Silva chegou ao Vasco, em dezembro de 2013, a torcida sofria com o rebaixamento à Série B causado em grande parte pelo trágico revezamento entre Diogo Silva, Alessandro e Michel Alves no gol. Cinco anos depois, o uruguaio deixa São Januário, a caminho do Libertad, com seu nome gravado na história do clube.

Ainda que sua trajetória fique pelo menos um degrau abaixo da história dos melhores nomes do Vasco na posição, como Barbosa, Carlos Germano e Andrada, Martín Silva acumulou consideravelmente mais momentos bons do que ruins com a cruz de malta no peito.

No entanto, a turbulência de sua última temporada, simbolizada pelo frango inesquecível diante do Grêmio em seu jogo derradeiro pelo clube, indica que o goleiro de 35 anos deixa São Januário na hora certa para todos os envolvidos. O Vasco vira a página sem traumas, Martín sai da Colina pela porta da frente, e o Libertad contrata um goleiro que pode contribuir por alguns anos.

Defesas inesquecíveis no bicampeonato carioca

Em uma posição na qual confiança é fundamental, Martín ganhou logo de cara em 2014 o carinho dos vascaínos e se tornou decisivo nos títulos cariocas de 2015 e 2016. Uma de suas defesas mais marcantes ocorreu na semifinal do estadual de 2015, quando mostrou reflexo impressionante para salvar o chute de Alecsandro na vitória do Vasco sobre o Flamengo por 1 a 0 (veja abaixo).

Na campanha do título de 2016, outro momento contra o Flamengo ficou na memória dos torcedores vascaínos: as duas defesas em sequência em chutes de Guerrero no empate entre as duas equipes por 1 a 1, em Manaus.

O ano de 2018 começou da maneira mais promissora possível para Martín. Depois da goleada sofrida pelo Vasco para o Jorge Wilstermann por 4 a 0 na altitude de Sucre, na disputa de pênaltis o goleiro fez três defesas que garantiram o time brasileiro na fase de grupos da Libertadores.

Falhas marcantes em 2018

O que começou bem, porém, saiu dos trilhos ainda durante o Campeonato Carioca. Com uma sequência de atuações abaixo do seu padrão, Martín Silva cometeu um erro bisonho na vitória do Vasco sobre o Boavista por 4 a 3

Não foi a única fase ruim do uruguaio com a camisa do Vasco. No Brasileiro de 2015, que acabou com o rebaixamento à Série B, ele chegou a ser substituído pelo técnico Celso Roth no intervalo na derrota para o Palmeiras por 4 a 1, em São Januário. Mas em 2018 o momento ruim durou mais tempo e, ainda que tenha feito bons jogos, Martín não conseguiu firmar uma sequência à altura de seu talento, culminando no frango contra o Grêmio (veja abaixo) que fez o uruguaio perder a posição.

Sem Martín Silva, fica a questão para 2019: Fernando Miguel pode ser titular do Vasco? Embora tenha tido ótimas atuações no fim desta temporada, o goleiro de 33 anos jamais conseguiu se firmar num clube grande. Com equipes como Esportivo, Lajeadense e Juventude no currículo, antes de chegar a São Januário ele disputou a Série A apenas duas vezes, em 2016 e 2017, ambas pelo Vitória, e acabou barrado no time baiano antes de acertar com o Vasco.

Por isso, ainda que a memória recente do torcedor vascaíno guarde boas lembranças de Fernando Miguel, é fundamental que o Vasco acerte a contratação de um goleiro de bom nível para disputar posição com o atleta que terminou o ano como titular da meta.

No momento, a diretoria vascaína diz priorizar contratações para as laterais e o meio-campo. Porém, convém olhar com carinho os goleiros no mercado, para evitar o risco de, caso Fernando Miguel caia de produção, voltar aos tempos sombrios que antecederam a contratação de Martín Silva.

Fonte: GloboEsporte.com