Opinião: Colunista diz que Eurico foi quem mais errou no caso Alex Dias

22/01/2006 às 15h34 - IMPRENSA

Quero me solidarizar aqui com a parte da torcida do Vasco que aplaudiu Alex Dias na noite de quarta-feira, quando ele foi substituído, no finzinho do jogo - duro jogo - contra o Volta Redonda. Alex Dias errou? É possível que tenha errado. Mas o bom-senso manda analisar o caso desde o começo. A grande tragédia atual do jogador de futebol é a figura do procurador, do empresário ou que nome tenha. O jogador não é mais dono de si, há por trás dele aquela figura nefasta que quanto mais o jogador mudar de clube mais vai lucrar. Depois, é fundamental considerar também que recorrer à Justiça é um direito de qualquer trabalhador - e portanto também do jogador de futebol. Ainda que ele tenha agido na hora errada, apenas se valia de um direito. Até seria bom que, agindo no momento certo, todo jogador fizesse valer seu direito diante dos atrasos de nossos incorrigíveis clubes que não respeitam o direito mais primário do trabalhador.

Por último é indispensável lembrar aqui que quem mais errou no episódio foi o presidente do Vasco, o Sr. Eurico Miranda. Numa entrevista à TV - portanto publicamente -, ele declarou o salário pago a Alex Dias. Ora, um contrato de trabalho não é um documento sigiloso, mas há questões éticas a cercá-lo. Ninguém sai por aí gritando \"Eu ganho milhões do Vasco\", mas o Vasco também não pode cometer a deselegância de dizer quanto paga a seus jogadores. Foi altamente infeliz a atitude do Sr. Eurico, que assim joga a torcida - em grande parte gente mal remunerada - contra toda a categoria dos jogadores profissionais. E sabemos todos que 90% dos jogadores brasileiros ganham salários miseráveis. Uns cinco ou seis por cento ganham salários razoáveis. E uma minoria mínima, se assim me posso expressar, ganha altos salários. São pouquíssimos, nos poucos grandes clubes de nossas poucas grandes cidades. Tanto isso é verdade que toda a elite do nosso futebol está indo ganhar os tubos - aí, sim, os tubos mesmo - na Europa.

Marcos de Castro

Fonte: Jornal dos Sports