Presidente do Conselho Fiscal se defende após acusação; veja a nota

30/01/2019 às 14h10 - POLÍTICA

O desentendimento entre Alexandre Campello, Presidente do Vasco, e Edmilson Valentim, Presidente do Conselho Fiscal, ganhou mais um capítulo na tarde desta quarta. Após nota em que a direção administrativa o acusava de perseguição política e de tentar desestabilizar a gestãocom constantes notificações, Edmilson respondeu dizendo que se trata de inverdades e questiona o destino do dinheiro da venda de Paulinho: "Pra onde foi?".

O Conselho Fiscal do Vasco enviou notificação extra-judicial ao presidente do clube, Alexandre Campello, na semana passada. O órgão aponta suspeita de gestão temerária e cobra a entrega de 18 documentos para fiscalização da atividade financeira da diretoria em 2018.
 

Confira a nota:

"Fiscalização só tendo 
Acesso às informações

Como presidente do Conselho Fiscal do Club de Regatas Vasco da Gama tenho a obrigação de vir a público esclarecer algumas inverdades divulgadas em nota da diretoria administrativa do clube. Primeiro ressaltar que é minha obrigação estatutária emitir documentos e notificações sempre que o conselho não tiver acesso às informações que precisa para trabalhar, como vem sendo o caso.

Depois de 28 ofícios protocolados na secretaria do clube e só um respondido a contento, só restou o recurso a notificação extrajudicial. Foram 15 ofícios não respondidos e sem nenhuma justificativa, seis respondidos mas sem os documentos, seis respondidos em parte, um respondido.

Importante frisar que a notificação ao presidente e o pedido de mais esclarecimentos foi ratificada e assinada por todos os integrantes do conselho. Sem exceção. Portanto, não se trata de uma iniciativa individual. Até poderia ser, mas não foi. Um dos integrantes, inclusive, pediu informações adicionais às que foram levantadas na reunião do Conselho Fiscal .

É lamentável que em vez de responder aos questionamentos de todos os integrantes do Conselho Fiscal, o presidente do Vasco opte por politizar a discussão, em vez de responder aos questionamentos sobre movimentações financeiras do clube. Ao argumentar que as solicitações são coisa da oposição, ele joga uma cortina de fumaça sobre as verdadeiras questões que levaram o Conselho a atitudes tão radiciais em defesa do nosso clube.

Por que não entregar os documentos que solicitamos sobre vários aspectos da gestão financeira do Vasco? O presidente parece estar usando de artifício retórico para encobrir irregularidades.

Vale ressaltar que o próprio presidente administrativo participou de varias dessas reuniões do Conselho Deliberativo e não respondeu aos questionamentos. Deixou de prestar os esclarecimentos solicitados em todos esses encontros.

Não adianta falar que o tema está sendo politizado, o que efetivamente não está. Estamos tratando de temas muito caros ao clube e que devem ser respeitados, como, por exemplo, a venda do Paulinho. Trata-se da maior entrada de dinheiro da história do Vasco. Mesmo assim, os salários continuam atrasados e as contas vencidas. Pra onde foi esse dinheiro? De que forma foi e está sendo movimentado? O sócio e o torcedor têm o direito de saber. Isso se chama transparência.

Covardia dizer que o presidente do Conselho Fiscal não levantou questionamentos sobre as contas da gestão anterior. O Conselho foi eleito para fiscalizar a atual gestão, e não a anterior. Sobre a anterior, que falem os integrantes do Conselho Fiscal da época. Contas estas que o próprio presidente administrativo se absteve de opinar, quando da votação. Se tinha alguma denúncia a fazer sobre a gestão anterior, por que não fez ele mesmo, o que seria sua obrigação?

Como presidente do Conselho Fiscal não posso aceitar que politizem uma questão técnica. Precisamos ter acesso a todos os documentos, ler e analisar. É o nosso papel, é o motivo para o qual fomos eleitos. E não vamos abrir mão dessa nossa prerrogativa.

Quem não deve não teme. Precisamos dos documentos para analisar a gestão do clube com seriedade e técnica. Não adianta tentar politizar a questão. Vamos até o fim em busca das respostas e em defesa de uma gestão transparente e correta, que é o que o nosso Vasco da Gama merece.

Não adianta usar os patrocínios e eventuais negociações como desculpa para não apresentar os documentos pedidos. Uma gestão profissional e transparente por si só já atrai esse tipo de apoio externo, assim como a tão sonhada estabilidade política. Isso, aliás, tem sido prática da atual gestão. Todas as vezes que se faz algum questionamento sobre a atual administração a justificativa para tentar não responder é que vai atrapalhar o clube, como se a gestão se confundisse com o próprio Vasco. Pelo contrário, os questionamentos são em defesa do Vasco, que merece e precisa ter uma gestão seria e transparente.

O posicionamento é justamente para preservar o clube e, em caso de irregularidade, protegê-lo, punindo apenas o dirigente.

Sempre em defesa do nosso Vasco da Gama,

Edmilson Valentim"

Fonte: Globoesporte.com