Valentim conversa com Castán, conta com Martín Silva e promete evolução

12/12/2018 às 07h02 - FUTEBOL

Pela primeira vez na curta carreira, Alberto Valentim conseguirá iniciar uma temporada do zero num grande clube brasileiro. Após apagar incêndios em Palmeiras, Botafogo e no próprio Vasco, ele tem a oportunidade de planejar desde o início o ano de 2019. E tem altas expectativas. A entrevista completa vai ao ar no Globo Esporte desta quarta-feira.

 

Valentim encerrou 2018 com a missão cumprida de manter o Vasco na Série A. Ele sabe que seus números ainda são baixos, o que gera o compromisso de mudar. E melhorar. Para isso, conta com líderes do elenco, como o goleiro Martin Silva e o zagueiro Leandro Castan. Com este último, por exemplo, entrou em contato para falar da permanência.

- Conversei com Castan, até por ser o capitão, sobre o que pretendemos para o ano que vem. Falamos da permanência dele, que ele será uma peça importantíssima para o que pretendemos para o ano que vem.

E o que Valentim pretende para 2019? Nesta entrevista ele explica suas ideias, fala em buscar reforços com “mentalidade vencedora” e promete evolução.

- Nós precisamos melhorar muita coisa, reforçar. E o melhorar muito começa também por mim, pela minha comissão. O Vasco está melhorando. Recebi uma foto do campo que está sendo todo trocado. Precisamos qualificar. Faremos coisas muito diferentes, não só dentro de campo, mas na organização também. Mais disciplina. Vai ter uma cobrança firme. A exigência tem que ser do tamanho do Vasco.


Confira a entrevista:

GloboEsporte.com: Como você encontrou o Vasco?

Alberto Valentim: O Botafogo estava mais destruído emocionalmente. No Vasco, o problema é que se respira muito o medo de um novo rebaixamento. Lembro que quando eu estava no Botafogo, no Estadual, o Vasco perdia um jogo e já diziam que no Brasileiro se não abrisse o olho ia lutar para não cair. Brasileiro nem tinha começado.

 

Quando cheguei, a preocupação era grande. Eu dizia aos jogadores quase diariamente que não podíamos carregar esse peso de rebaixamentos anteriores. Eu brincava dizendo que ninguém ali ganhou premiação quando o Vasco ganhou a Libertadores. Não estávamos no elenco. Mas também não poderíamos carregar peso de outros anos.

 

Como foi a notícia de que permaneceria para 2019?

- Eu estava muito tranquilo porque tenho contrato com o Vasco até 2019. Em nenhum momento ninguém chegou até mim e comentou da chance de não ficar. Antes da minha vinda para o curso, o presidente me chamou para conversar e planejar o ano que vem.

Com a notícia de que o Martin Silva pode deixar o Vasco, qual a sua opinião sobre isso?

- Eu quero que o Martín fique, aí teremos dois goleiros de qualidade. O Jordi também tem qualidade, o terceiro. O João (Pedro), que é da base. Se falo em qualificar o elenco, começando pelo goleiro, com certeza quero que fique o Martín. Estaríamos muito bem servidos.

Como você vê a possível saída do Castan para o Corinthians?

- Não acredito que ele esteja fechado com o Corinthians. Ele tem contrato com o Vasco, e conto muito com ele. É o nosso capitão hoje. Vai nos ajudar muito dentro e fora de campo no ano que vem. É um líder positivo, uma referência. Contamos muito com ele.

 

E o Maxi?

- Não acredito que ele saia também. Comprou a ideia, se identificou muito com o Vasco e nos ajudou bastante. O discurso para o Castan é o mesmo para o Maxi.

Conversou com eles?

- Conversei com Castan, até por ser o capitão, sobre o que pretendemos para o ano que vem. Falamos da permanência dele, que ele será uma peça importantíssima para o que pretendemos para o ano que vem.

 

Agora que você vai começar uma temporada desde o início, o que pode mudar no Vasco tendo mais tempo?

- Com todas as cobranças que tivemos, com a torcida, que nos ajudou muito... Vamos fortalecer em cima do que terminamos o ano, uma equipe com padrão de jogo. Isso vai melhorar muito. A pré-temporada, mesmo que seja menor, já com boa parte do elenco. Muitos já sabem a forma de trabalhar. Vai acelerar o processo. Vai ser ano de muito mais qualidade e melhores resultados, com certeza.

Como está o planejamento dos reforços? Quantos será necessários?

- Estou participando diretamente, mesmo com as aulas no curso. Converso muito com Alexandre (Faria) e com PC (Gusmão) para fortalecermos ao máximo. Precisamos ser pontuais. A quantidade ainda vamos discutir porque precisamos ver quem sai também.

 

Quais são as prioridades de contratação?

São laterais... Perdemos o Ramon. Vamos precisar de lateral-direito também. Precisamos de atacantes, meias... Vamos em busca de coisas pontuais.

Qual foi sua relação com o Fabricio neste período no Vasco?

- Quando eu cheguei, não conversei só com Fabrício, mas com todos. Na primeira semana ficamos concentrados quatro dias para acelerar o processo de conhecê-los. Desde que eu treinava o Palmeiras já não via o Fabrício como lateral. Podia nos ajudar no meio, fazendo o papel de camisa 10. O que pedi a ele e aos outros foi que treinassem forte.

Não tínhamos o Giovanni Augusto, machucado, e o Thiago Galhardo não estava bem. Não via ele brilhando nos treinos, e o Fabrício estava muito bem na parte técnica e física.

Então, não inventei o Fabrício. Só pedi que fizesse o que estava fazendo nos treinos. Ele entrou bem contra o Flamengo e nos ajudou. O que pesou para ele foi a contestação pelo passado, por causa da foto que vazou, enfim... Mas eu não podia não usá-lo. Ficou um pouco mais ligado a mim.

Então por que a decisão de não contar com ele em 2019?

Seria muito desgastante. Não pelas atuações, com certeza não. Mas pelo que passou.

 

O que vai ficar mais nítido para a torcida de mudança positiva já no início do ano?

- Nós vamos qualificar mais e vamos começar um trabalho do zero. É mais fácil os jogadores trabalharem já sabendo como o treinador gosta de fazer as coisas, e eu já os conhecendo também. A pré-temporada sendo feita da maneira que estamos planejando é muito importante pelo lado físico, para evitar lesões, e aí vem o lado técnico e tático.

 

Atibaia já está definido como o local da pré-temporada?

- A diretoria, dentro das condições do Vasco, não vai medir esforços para nos dar qualidade de trabalho, já na pré-temporada. Ainda vamos definir o lugar, mas pode ter certeza de que vai ser um local com 100% de qualidade.

A partir de quanto tempo o trabalho de um treinador começa efetivamente a aparecer?

- De verdade, acho que uns seis meses. Mas no Brasil não existe isso, nossa cultura não te dá esse tempo. Mas acho que em seis meses é possível mostrar um nível muito alto. Mas vi muitas coisas boas no pouco tempo de trabalho, e mesma coisa aconteceu no Botafogo e no Palmeiras. Tinham padrão de jogo. Se via minha forma de trabalhar. Quanto mais tempo, melhor.

Depois da experiência de brigar contra o rebaixamento, quais as principais lições?

- São emoções vividas, trabalhos que vamos acrescentando coisas. Experiência é só com o tempo, não tem jeito. Vamos melhorando aos poucos. Vejo os técnicos dizendo que estão se fortalecendo com o tempo, imagina eu que sou jovem, que estou há pouco tempo na carreira. Com certeza todas as vitórias, derrotas e dificuldades, primeiro campeão, depois o trabalho fora e depois a luta contra o rebaixamento... Com certeza isso me deixa mais forte e preparado para fazer de 2019 um grande ano.

O que você vai desejar na virada do ano para 2019?

- Só agradeceria a Deus por tudo que me deu como atleta, minha família, amigos, filho... e a oportunidade de trabalhar em um grande clube como o Vasco. Só agradecer.

Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco PressValentim acredita em evolução do Vasco para 2019
Valentim acredita em evolução do Vasco para 2019
Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.brAlberto Valentim no treino do Vasco em Fortaleza, antes do jogo contra o Ceará
Alberto Valentim no treino do Vasco em Fortaleza, antes do jogo contra o Ceará
Foto: Carlos Gregório JrAlberto Valentim conversa com os jogadores do elenco do Vasco
Alberto Valentim conversa com os jogadores do elenco do Vasco
Foto: Marcos RibolliAlberto Valentim orienta jogadores em partida pelo Campeonato Brasileiro
Alberto Valentim orienta jogadores em partida pelo Campeonato Brasileiro
Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco PressValentim acredita em evolução do Vasco para 2019
Valentim acredita em evolução do Vasco para 2019
Foto: Fred HuberAlberto Valentim na Granja Comary, onde faz curso de técnicos da CBF
Alberto Valentim na Granja Comary, onde faz curso de técnicos da CBF

Não Confirmado

Você aprova a saída de Alberto Valentim?

Fonte: Globoesporte.com