Falecimento de Eurico Miranda provoca mudanças na política vascaína

13/03/2019 às 13h26 - CLUBE

Eurico Miranda foi durante décadas o principal nome da política do Vasco da Gama. Falecido nesta terça-feira (12 de março) aos 74 anos de idade, o então presidente do Conselho de Beneméritos deixa um vazio insubstituível no coração de familiares e amigos. Com pessoa, o pai, o avô, o tio, o amigo Eurico Miranda vai deixar muita saudade.

Como dirigente, entretanto, ele foi amado por muitos, mas também odiado por vários. Figura polêmica, Eurico Miranda nunca escondeu que a sua prioridade era o Gigante da Colina. Enquanto Deputado Federal, chegou a dizer que estava no cargo para preservar os interesses vascaínos. Presidente do Conselho Administrativo de 2001 a 2008, voltou ao cargo no final de 2014 até 2017. Derrotado a eleição, articulou um plano meticuloso por meio do qual seu opositor, Julio Brant, foi derrotado por um antigo aliado, Alexandre Campello, com votos de conselheiros ligados ao Dr. Eurico Miranda.

Por essas e outras demonstrações de força nos bastidores vascaínos, a morte de Eurico Miranda também provoca mudanças na política vascaína. O Casaca, grupo do qual fazia parte e era líder, perde força. Embora conte com muitos conselheiros dentro de São Januário, a presença de Eurico unificava os diversos interesses. Agora, muitos que já alinhavam com o presidente Alexandre Campello tendem a ficar ao lado do atual mandatário. Outros, no entanto, podem se aproximar de outras forças.

Fernando Horta e Roberto Monteiro, figuras influentes na Colina Histórica, podem acenar para alguns euriquistas como possíveis lideranças nos próximos anos. Ambos já tiveram ou ainda têm o desejo de ocupar o cargo de Campello e, para isso, é necessário a adesão de alguns conselheiros ligados a Eurico Miranda.

No polo oposto politicamente, estão Julio Brant e Otto de Carvalho. Claramente declarados de oposição, eles podem crescer politicamente a partir de agora. Certa vez, Eurico foi chamado de Rei por Romário, agora, com sua morte, o trono está vago. Candidatos não faltam para ocupá-lo.

Fonte: Torcedores.com