A análise da derrota do Vasco para o Flamengo na final da Taça Rio

01/04/2019 às 07h59 - FUTEBOL

O Vasco tinha o título da Taça Rio nas mãos, mas, assim como foi diante do Bangu na semifinal, não soube manter a posse de bola nos minutos finais e aproveitar os contra-ataques para definir o jogo. Na última quinta, até segurou a vitória por 1 a 0 depois de uma pressão, mas neste domingo, contra o Flamengo, no mesmo Maracanã, levou o empate aos 48 do segundo tempo e perdeu nos pênaltis.

Em 18 jogos da temporada, foi a quarta vez que o Vasco fez 1 a 0 e não venceu: três empates (Juazeirense, Botafogo e Flamengo) e derrota para o Bangu. Em cinco oportunidades, fez o primeiro, depois fez o segundo e construiu o placar. Tem seis vitórias por 1 a 0 no ano.

Com a mesma equipe da semifinal, o Vasco começou o jogo bem e apostando nos avanços dos laterais, tanto que a primeira chance saiu dos pés de Cáceres aos 10 minutos. Após um contra-ataque, o paraguaio invadiu livre a área, mas chutou fraco. O time tinha um volume interessante, mas não chegava com tanto perigo.

Logo aos 20, Alberto Valentim teve que fazer uma substituição forçada. Castán sentiu dores na coxa esquerda e deu lugar para Ricardo. E foi justamente em um lance com Ricardo que o Vasco perdeu outro jogador. O zagueiro chocou-se com Bruno Silva, que caiu desacordado e deu a vaga para Raul. Com ele, teoricamente, o time ganharia mais força na marcação e velocidade no toque de bola.

Susto! Bruno Silva tromba com Ricardo Graça e cai desacordado aos 40 do 1º tempo

Bruno César não repetiu atuação do último jogo

Bruno César até se movimentou bem, buscou a bola, mas não fez uma boa partida. Cansou no segundo tempo e foi substituído por Thiago Galhardo. O Vasco já vencia por 1 a 0, gol do oportunista Tiago Reis, que segue firme como titular.

O time acabou recuando e apostando nos contra-ataques. Aos 41, Thiago Galhardo fez boa jogada pela direta e entrou na área na cara de César, mas demorou na finalização e foi desarmado. Sete minutos depois, em outro contra-ataque, o meia não conseguiu dominar uma bola no meio e cedeu para o rival, que aproveitou. Com liberdade pela direita, Bill cruzou na cabeça do baixinho Arrascaeta, que subiu sozinho e empatou. Castigo pela falta de posse de bola no fim.

Na penalidade, Fernando Miguel até pegou uma cobrança, mas Tiago Reis, Rossi e Werley perderam as suas. Frustração que deve ser minimizada na semana livre de treinamentos.

  • O Vasco propôs o jogo desde o início e só pecou no final;
  • Fernando Miguel foi muito bem quando exigido, principalmente nas saídas do gol nas bolas áreas. Fez uma grande defesa em chute de Vitinho no segundo tempo;
  • Rossi e Marrony apresentaram um grande comprometimento na ajuda na marcação dos laterais adversários;
  • Lucas Mineiro manteve a regularidade e foi o principal articulador do meio de campo vascaíno

Fonte: GloboEsporte.com