A análise da vitória vascaína diante do Paraná em São Januário

31/05/2018 às 08h08 - FUTEBOL

Longe de ser brilhante ou pelo menos apresentar um bom futebol, o Vasco venceu o Paraná por 1 a 0 nesta quarta-feira, em São Januário, e subiu na tabela do Campeonato Brasileiro. Agora, são 11 pontos em sete partidas disputadas – uma a menos, contra o Santos, do que os demais times – e a 11ª colocação.

E, independentemente da qualidade do futebol apresentado em campo, o Vasco sabia: precisava de qualquer jeito vencer o Paraná, último colocado do Brasileirão com apenas três pontos. Na rodada anterior, o Cruz-Maltino havia perdido por 3 a 0 para o Bahia e queria evitar que o clima piorasse no clube.

Zé Ricardo escalou o Vasco sem um armador – Andrés Ríos, Pikachu, Riascos e Caio Monteiro formaram o setor ofensivo. Giovanni Augusto, que poderia exercer a função, ficou no banco de reservas, enquanto Wagner estava suspenso e Thiago Galhardo, lesionado. Os problemas deram dor de cabeça ao treinador e atrapalharam o desempenho em campo.

O time ficou com a bola na maior parte do tempo, principalmente na primeira etapa, mas não conseguia reverter isso em chances claras de gol. Tocava muito na intermediária, sem efetividade, e tentava evitar contra-ataques do Paraná. Em algumas oportunidades, os volantes Bruno Cosendey e Andrey tentaram suprir a ausência do armador.

O gol, por incrível que pareça, saiu justamente num contra-ataque, principal e única arma do Paraná. Andrey acertou ótimo passe para Pikachu, que chapelou o goleiro adversário e garantiu a vitória cruz-maltina.

Riascos correu muito, mas não foi eficiente (Foto: André Durão)

Como de costume, o Vasco lutou – essa, inclusive, não tem sido uma das reclamações da torcida. Os jogadores mostraram disposição e ciência da importância do resultado positivo em São Januário. Uma derrota mudaria, e muito, o clima para os próximos dias, ainda mais às vésperas do clássico de sábado, contra o Botafogo.

Mesmo com o resultado debaixo do braço, porém, o Vasco não conseguiu melhorar. O segundo tempo foi ainda pior, já que o Cruz-Maltino deu mais espaço ao Paraná, que não mostrou qualidade para aproveitar chances criadas.

Lateral, ponta, meia... Na noite desta quarta-feira, Yago Pikachu mostrou mais uma vez que é imprescindível no Vasco atual. Lateral-direito de origem, o jogador tem sido escalado como ponta, mas contra o Paraná teve, também, a missão de ajudar na armação das jogadas, já que não tinha um criador de ofício.

Aberto pela direita, é claro, ele em diversas oportunidades carregou a bola para o meio para tentar chegar mais perto dos centroavantes Ríos e Riascos. Com velocidade, garantiu a vitória do Vasco e ainda criou outras chances, mas desperdiçou.

O Vasco tem a pior defesa entre times da Série A do Campeonato Brasileiro na temporada: 50 gols sofridos. Contra o Paraná, porém, os zagueiros foram bem, apesar de mais uma vez a dupla ter sido alterada - Werley e Ricardo jogaram. Os comandados de Zé Ricardo só conseguiram não sofrer gols em oito das 33 partidas disputadas em 2018.

Fonte: GloboEsporte.com

Enquete

Você é favorável ao retorno de Antônio Lopes no cargo de dirigente?

Deixe seu comentario