A análise de Portuguesa 2 x 3 Vasco

10/02/2020 às 08h18 - FUTEBOL

Um Vasco em evolução, mas ainda com carências e problemas, venceu a Portuguesa por 3 a 2, neste domingo. As chances aumentaram, os gols surgiram, mas o setor de criação ainda peca, e o sistema defensivo é vulnerável. O time de Abel encerra a participação na Taça Guanabara com perspectiva de melhora, mas ciente de que ainda tem muito a evoluir.

- A equipe está melhorando. Mas não chegou num nível desejado... A verdade é que a equipe não está pronta. Vamos tentar fazer melhor. Precisamos fazer melhor - analisou Abel.

Listamos o que funcionou em Bacaxá e o que vem dando errado e precisa melhorar para a sequência do Vasco no Campeonato Carioca.

O que deu certo

Em Bacaxá, Abel manteve os titulares. A ideia é dar sequência e entrosamento à equipe. O time ainda está longe do ideal, mas vem dando sinais de evolução jogo a jogo.

A única novidade foi Vinicius. O jovem atacante, que vem entrando bem ao longo dos jogos, ganhou uma oportunidade na vaga de Talles Magno, preservado. Vinicius mais uma vez agarrou a chance.

Vinícius é jovem, estreou neste ano no profissional, mas não se intimida e parte para cima. Participou das principais jogadas do Vasco, inclusive do terceiro gol, quando arrancou do campo de defesa e serviu Germán Cano. Vem pedindo passagem, mas Abel quer mais.

- É um jogador que tem qualidade, drible, velocidade. Mas estava precisando de um pouco disso para se soltar, para ser mais forte no um contra um. E está conseguindo. Ainda não é o Vinicius que vi na Taça São Paulo, mas ele vai pegando. Devagarzinho ele vai pegando - analisou Abel.

Bola aérea: Se o setor de criação no meio de campo ficou devendo, o jeito foi usar a bola parada. E foi assim, pelo alto, que o Vasco construiu a vitória. No primeiro tempo, em duas cobranças de escanteio, Werley marcou dois gols de cabeça. Foram seus primeiros gols em 60 jogos pelo clube. A bola parada ofensiva do Vasco é sempre perigosa. Vem sendo uma arma do time de Abel.

Cano mais uma vez mostrou faro de gols. Já são três em cinco jogos pelo Vasco.

O que precisa melhorar

A defesa do Vasco ainda não encaixou. Contra a Portuguesa, levou dois gols, além de outros sustos. Abel ficou furioso no primeiro gol, por conta de falhas coletivas de posicionamento. A Portuguesa, apesar da fragilidade, conseguiu explorar as costas dos laterais, mesmo com o time jogando com três volantes.

Abel Braga ainda busca a melhor formação do meio de campo. Já testou Bruno Gomes, Gabriel Pec, Juninho, Andrey e Marcos Junior. Raul é o único do setor que ainda não saiu do time.

As constantes trocas têm motivo. Apesar de ter melhorado a movimentação, o meio de campo do Vasco é pouco criativo e erra muito. Contra a Portuguesa, foram incríveis 67 passes incompletos, de acordo com scout da TV Globo.

Oito deles somente no primeiro tempo com Marcos Junior. Abel se irritou e o trocou no intervalo por Juninho. O jovem entrou bem, marcou forte, distribuiu bons passes, mas ainda não é o homem de armação que o Vasco busca.

Guarín também não é esse jogador, mas sua volta ao time tende a qualificar o setor.

Fonte: GloboEsporte.com