A análise de Vasco 1 x 0 Portuguesa

31/01/2019 às 07h12 - FUTEBOL

O calor foi o grande protagonista na vitória do Vasco por 1 a 0 sobre a Portuguesa, nesta quarta-feira, em Moça Bonita, Bangu, zona oeste do Rio de Janeiro. Sob 40º, o Cruz-Maltino venceu por 1 a 0 com gol de Pikachu, mas a atuação não foi a mesma das três rodadas anteriores da Taça Guanabara - até por causa da altíssima temperatura, com sensação térmica ainda maior. Com o resultado, o time está na semifinal.

Dudu, substituído no segundo tempo, foi o principal destaque. O garoto, poupado contra o Americano, mostrou muita movimentação, mesmo com o calor, e acertou bons passes. Pelo meio e próximo dos atacantes, rodou bem a bola e foi a válvula de escape para o Vasco fugir da retranca da Portuguesa. Bruno César entrou no segundo tempo, estreou e foi discreto.

O jogo começou quente só por causa da temperatura de 40º em Bangu, mas em campo só deu Vasco. O Cruz-Maltino, principalmente pela direita, onde estava Pikachu, chegava com frequência à área da Portuguesa, mas não conseguia finalizar com perigo, até por causa da retranca montada pelo adversário.

De tanto insistir, a equipe comandada pelo técnico Alberto Valentim teve um pênalti marcado e convertido justamente por Pikachu, até então apagado, apesar de muito acionado. Foi o único gol do confronto, que não teve maiores emoções.

Mesmo depois de abrir o placar, o Vasco seguiu em cima da Portuguesa. O adversário, mandante na tarde desta quarta-feira, apostava mais em contra-ataques, mas o centroavante Nilson não conseguia segurar a bola e mais se atrapalhava do que criava chances. O Cruz-Maltino, então, dominava.

Apesar disso, não tinha tanta chance clara. O Vasco tocava muito a bola no meio de campo e virava de um lado para o outro, entre os laterais, mas a Portuguesa não saía da defesa e dificultava as investidas cruz-maltinas. Rodar a bola, inclusive, tem sido uma das características deste Vasco de Alberto Valentim em 2019.

O forte calor, é claro, começou a pesar, e o ritmo dos dois times diminuiu, mas principalmente do Vasco. Como se defendeu durante quase todo o primeiro tempo, no segundo a Portuguesa teve mais fôlego e começou a criar mais chances em contra-ataques.

A insistência do primeiro tempo já não foi tão vista no segundo. O Vasco passou a cadenciar o jogo, deixar o tempo passar e evitar imposição de velocidade, justamente por causa do cansaço, que era claro.

Apesar da queda de ritmo, os lances em que o Vasco sofreu foram raros e só no segundo tempo. Ainda 100% na Taça Guanabara, o Cruz-Maltino poupou diversos titulares contra a Portuguesa e mesmo assim conseguiu vencer. Mérito para os comandados de Alberto Valentim.

A defesa, até então, é um dos setores que mais se destacam. Em quatro jogos, foram duas duplas (Werley e Leandro Castan/Luiz Gustavo e Ricardo) e só dois gols sofridos, na vitória por 5 a 2 sobre o Volta Redonda.

Grata surpresa para os torcedores em 2018, o volante Raul mantém o mesmo nível em 2019. O jogador foi titular nas duas primeiras rodadas e, depois de ser poupado contra o Americano, voltou à equipe diante da Portuguesa, nesta quarta-feira.

Ao lado de Willian Maranhão, mostrou ótima saída de bola e qualidade na marcação. Deve ser o dono da posição no decorrer da temporada, apesar de a concorrência ter aumentado com a chegada de Lucas Mineiro e Fellipe Bastos (ainda lesionado).

Fonte: GloboEsporte.com