A briga de Vasco e Flamengo pelo Maracanã

05/04/2019 às 12h51 - FUTEBOL

A proposta da dupla Fla-Flu para gerir o Maracanã gerou um protesto da diretoria do Vasco que reclama da possibilidade de só os rivais ficarem com a sua administração. Longe dos microfones, o blog apurou a versão dos dois lados para a disputa em relação ao estádio. O resultado da concorrência do governo do Estado sai nesta sexta-feira até o final do dia.

A dupla Fla-Flu apresentou todos os documentos para atender as requisições do governo. O Vasco apresentou uma carta de intenções de gestão, ou seja, não tem proposta oficial para assumir a administração. Assim, clube de São Januário não é um concorrente de fato.

Do lado vascaíno, a principal reclamação é de que o Flamengo montou um modelo com maior poder sobre a gestão do estádio do que os outros clubes. O Vasco aceitava que a agremiação rubro-negra tivesse maior participação na receita do estádio, mas queria uma gestão compartilhada. Alega que a dupla de rivais montou uma proposta na calada da noite, sem avisa-lo.

Outra questão levantada é a mudança nas regras para a concorrência que permitiu aos clubes participarem da concorrência foi feita no início da semana, próximo do prazo de entrega que era quinta-feira. Entre os vascaínos, não havia um plano de montar uma gestão sozinho do estádio já que tem São Januário.

Do lado rubro-negro, causou contrariedade que o Vasco queria jogar a maior parte da conta do Maracanã para o governo sem se comprometer a jogar lá com frequência. A manutenção custa R$ 28 milhões que seriam uma despesa dos cofres públicos, com exceção de operações de jogo a ser bancada pelos clubes.

Em seu plano, de fato, os vascaínos incluíam previsão de contribuição do Estado para pagar a conta como disse seu presidente Campello ao “Globo.com”. Não está clara a proposta financeira rubro-negra, mas não envolve contribuição pública desse nível.

Dentro da negociação, na versão do Flamengo, o rival alvinegro queria um modelo que só precisasse jogar no Maracanã entre cinco e 10 jogos dependendo da perfomance. E exigia que tivesse o lado Sul sempre para sua torcida em qualquer jogo. E queria poder igual na gestão.

Esse é um item que gera disputa com o Fluminense que vê o setor Sul da arquibancada como de sua torcida como se demonstrou no último clássico em que o caso foi parar na Justiça. Não foi possível apurar com a diretoria tricolor se isso teve peso em sua decisão de se aliar ao Flamengo.

O anúncio do resultado nesta sexta-feira não deve acabar com a disputa entre os clubes. O Vasco ameaça ir à Justiça. E haverá uma licitação definitiva para a concessão de fato do estádio que deve incluir empresas.

Fonte: Blog do Rodrigo Mattos - UOL Esportes