A importância de Germán Cano para o Vasco

04/07/2020 às 09h41 - CLUBE

Eliminação precoce no Campeonato Carioca, salários atrasados e o eterno ambiente político conturbado. O Vasco não tem muitos motivos para sorrir em 2020 até aqui, a não ser quando a contratação de Germán Cano, apresentado em janeiro, é mencionada.

Os números falam por si só. Em 13 jogos na temporada, o argentino balançou as redes nove vezes. Para se ter uma ideia, o total de gols do Cruz-Maltino no ano é de 12. Além dele, somente Werley (2) e Andrey deixaram suas marcas.

Outra meta atingida pelo atacante é que, mesmo com pouco tempo de clube e um número reduzido de jogos em função da pandemia do coronavírus, ele já igualou a artilharia vascaína de toda a temporada passada, quando Marrony e Yago Pikachu também fizeram nove gols.

Técnico da equipe, Ramon Menezes salientou que Cano tem cumprido seu papel, mas ressaltou que a responsabilidade dos gols não pode ser totalmente em cima dele.

"É um jogador muito importante, que já vem fazendo tudo o que se espera dele, que é colocar a bola para dentro. Se a bola chegar, ele tem essa capacidade. Jogador inteligente, se posiciona muito bem dentro da área, mas vamos ter que trabalhar muito porque a responsabilidade é de todos de fazer os gols. Temos criado muitas oportunidades, vários jogadores tiveram chances de fazer gols nesses dois jogos", declarou à Vasco TV.

Ano passado, quando ainda defendia o Independiente Medellín (COL), Germán Cano fez nada menos do que 35 gols em 39 jogos e ficou entre os 10 maiores artilheiros do mundo.

Quer alcançar Romário

Durante a transmissão da Vasco TV, na última quinta-feira (2), na partida contra o Madureira, o comentarista Carlos Gregório Júnior, que também é assessor de imprensa do departamento de futebol, revelou uma curiosa conversa com Germán Cano.

Após fazer um "hat trick" na vitória sobre o Macaé, o argentino demonstrou curiosidade em saber quem havia sido o último jogador a marcar três gols em uma só partida pelo clube. Após Gregório lhe responder que foi Nenê, em 2016, pela Série B do Brasileirão, o atacante questionou, então, quem tinha feito quatro, e ficou surpreso, e ao mesmo tempo frustrado, ao descobrir que foi ninguém menos do que Romário, em 2002, na goleada por 6 a 1 sobre o Entrerriense.

No duelo com os macaenses, Cano chegou a perder uma grande chance quase debaixo da trave quando já havia feito três, algo que o fez lamentar bastante. Agora, ciente deste dado, colocou como meta alcançar a marca de um craque que lhe serve como inspiração.

"Para mim é um orgulho muito grande poder pertencer a instituição que viu Romário crescer. Ele fez muitos gols aqui pelo Vasco, deu muitas alegrias para as pessoas. Da minha parte vou sempre buscar fazer um pouquinho do que ele fez, sempre buscando dar alegrias para as pessoas, o que é o principal", disse à Vasco TV, no mês passado.

Recentemente, uma foto registrada pelo fotógrafo oficial cruz-maltino, Rafael Ribeiro, viralizou nas redes sociais. Nela, Germán Cano e o também argentino Benítez aparecem admirando a estátua de Romário, situada atrás de um dos gols de São Januário, durante uma pausa no treinamento (imagem acima).

Focado, o atacante cogitou até mesmo um dia ter a sua no clube:

"Quero poder me superar, fazer história com o Vasco. Por qual motivo não sonhar com uma estátua aqui amanhã? A verdade é que os sonhos são para ser realizados. Espero fazer muita história aqui no Vasco. Para isso nos preparamos com muita responsabilidade e compromisso, para fazer as coisas da melhor maneira.".

Fonte: UOL