Abel encara jogo contra o ABC como chance de dar 'resposta' ao torcedor

04/03/2020 às 14h15 - FUTEBOL

Com a greve de entrevistas dos jogadores do Vasco por conta dos salários atrasados, Abel Braga conversou com a imprensa nesta quarta-feira, antes do treino na véspera do duelo contra o ABC, pela segunda fase da Copa do Brasil. Alvo de críticas e de protestos por parte do torcedor, o treinador reconheceu que o time teve uma atuação ruim contra o Resende, disse entender a torcida vascaína e espera uma atuação convincente nesta quinta, na Copa do Brasil.

- Não agradou nada. Nem ao torcedor, nem a nós, nem aos jogadores. Viemos daquela classificação na Sul-Americana. Nós sabíamos exatamente a dificuldade que seria, e ela esteve presente, apesar de nós termos criado mais oportunidades de gols. Esperávamos uma equipe mais solta contra o Resende. E não ocorreu. E a manifestação do torcedor é muito clara e evidente. Já há um bom tempo o Vasco vem lutando contra uma série de problemas. O torcedor, mesmo nessa dificuldade, pode sair insatisfeito, mas ele vai lá e incentiva. Não temos nada a reclamar nada do torcedor, porque estamos completamente compactuados com eles em relação ao que apresentamos até agora. Esperamos passar amanhã na Copa do Brasil. É fundamental. Com todo respeito ao ABC, que tem um futebol muito vertical, nós temos que passar, com a minha vontade e dos torcedores que tenhamos uma atuação convincente - disse Abel.

O treinador deixou aberta a possibilidade de iniciar o jogo com Guarín, mas frisou que o colombiano ainda não tem condições de jogar todo o jogo.

- Conversei com o Guarín ontem. Ele não tem condições de suportar 90 minutos. No jogo passado, corremos certo risco para colocá-lo em campo. Jogou um tempo e mostrou a capacidade que tem mostrado nos treinamentos. Mas ontem, conversando, ele disse que ainda não tem condições de jogar o jogo todo. A possibilidade de começar com ele é boa, fazendo o contrário, começando e saindo depois. Pode ser que dê uma carga emocional, de experiência e qualidade à equipe desde o início. Estamos analisando.

Outros trechos

Jogadores afastados

Sobre eles, é um fato que já estava definido. Não é um fato legal. São jogadores que não se encontram dentro daquilo que o clube pretende, a nível de grupo. Não estão treinando comigo. Há a possibilidade de saída e mudança de clube. Isso já estava definido quando fui contratado. Hoje nós temos, sem contar esses jogadores, 32 jogadores, incluindo Ramon e Breno, e quatro goleiros. É um número elevado. Mas com temos muitos meninos, quase 50%, 60% de garotos, tem andado muito bem.

Mais informações em instantes.

Fonte: GloboEsporte.com