Adán Vergara e o seu caso de amor com o Vasco

21/10/2018 às 09h53 - TORCIDA

Apenas oitos jogos foram capazes de fazer o chileno Adán Vergara se apaixonar pelo Vasco. O ex-zagueiro foi contratado em agosto de 2005 para resolver os problemas defensivos do time, que na época lutava contra o rebaixamento. Com isso, o sucesso dentro de campo não foi possível, já que ele somou apenas uma vitória, três empates e quatro derrotas, marcando um gol, na curta passagem por São Januário. Com exclusividade ao Esporte 24 Horas, Vergara explicou os motivos para tanta identificação com o Vasco, em tão pouco tempo.

“Cheguei em um mau momento do time, mas conseguimos se classificar para a Copa Sul-Americana. Tudo foi muito intenso. Vocês brasileiros são um povo maravilhoso, cheio de carinho. A torcida do Vasco me conquistou. Adorava ir a São Januário. Todas as pessoas que trabalhavam lá me recebiam com muito afeto. São indescritíveis as lembranças que tenho de tudo o que vivi aí”.

Vergara ficou impressionado com o calor da torcida vascaína e com a simplicidade do gênio Romário. Para ele, as melhores recordações em sua passagem pelo clube.

“A torcida gritando meu nome antes do jogo. Isso foi de arrepiar. Ter a honra de jogar ao lado do Romário foi um privilégio muito grande. Ele é uma pessoa espetacular. Humilde, sincero e parceiro. Ajudou muito na minha adaptação ao clube”.

Apesar do pouco tempo atuando pelo Vasco, Vergara não se sente frustrado já que conseguiu aproveitar o momento. Entretanto sonha um dia retornar como treinador, profissão escolhida após pendurar as chuteiras.

“Não tenho nenhuma frustração. Tudo tem o seu tempo, o seu ciclo. Teria gostado se pudesse jogar de novo no Vasco, mas se tiver uma oportunidade de voltar como técnico, pode ter certeza de que vou trabalhar muito da mesma maneira que quando fui jogador”.

Vergara: um embaixador vascaíno no Chile

Foto: Reprodução Facebook | VergaraVergara ao lado de alunos da Escola Internacional de Futebol Vasco da Gama
Vergara ao lado de alunos da Escola Internacional de Futebol Vasco da Gama

A paixão de Vergara pelo Vasco motivou o ex-zagueiro a criar a Escola Internacional Vasco da Gama, com a finalidade de treinar crianças de todas as idades, que desde pequeno, aprendem a amar o Cruzmaltino.

“Fico satisfeito em ver como os meninos estão felizes por fazerem parte do nosso projeto, no qual eu ensino para eles o que é o Vasco da Gama. Eles querem aprender futebol. Adoram o estilo de jogo que é praticado no Brasil. Querem aprender a falar português, querem viajar ao Brasil para conhecer o clube, que já é o time do coração de cada uma das crianças que fazem parte do nosso projeto”.

Vergara revelou que chegou a ter uma conversa com dirigentes do Vasco, na época do confronto com a Universidad de Concepción, no Chile. Em pauta, um possível intercâmbio de atletas, no entanto nada foi concretizado.

“Conversamos, mas entendemos que aquele momento era de mudança da diretoria e outros assuntos eram prioritários e precisavam da atenção total do presidente. Estou aguardando um novo contato para poder ativar os laços e concretizar os nossos objetivos”.

Treinador pé quente e inspiração em Renato Gaúcho

Após se aposentar, Vergara se tornou técnico e logo no primeiro desafio na nova profissão, conquistou um título, comandando a equipe sub-15 da Universidad de Chile. Assim, o sucesso repentino o motiva ainda mais para alçar voos maiores como treinador.

“A sensação é de máxima felicidade. É importante poder conquistar objetivos dentro de um time para ter confiança e crescer como técnico. Estudei muito para isso. Espero que se seja o primeiro passo para voos mais altos na carreira como treinador”.

O agora “professor Vergara” revelou que possui inspirações em dois grandes técnicos da Europa, mas a grande referência na profissão é o Renato Gaúcho, que o comandou nos tempos de Vasco.

“Minha inspiração são Pep Guardiola e José Mourinho. Eles são o oposto um do outro, mas possuem a mesma meta, que é conquistar a vitória. No Brasil, o Renato Gaúcho é a minha grande referência. Primeiro porque o conheci pessoalmente e tive a oportunidade de ser comandado por ele no Vasco. O Rento amadureceu muito como treinador. Dá gosto de ver o Grêmio jogar. É um time com esquema tático definido e com variação de jogadas. Para mim, é o melhor time do Brasil”.

A admiração pelo Vasco e por Renato Gaúcho faz com que Vergara tenha o sonho de trabalhar como técnico em algum clube brasileiro, não descartando a sua preferência pelo Cruzmaltino.

“Eu adoraria! Amo o Brasil e seria um sonho poder voltar ao futebol brasileiro nessa nova etapa da minha vida. Seria maravilhoso. Estou trabalhando e estudando muito para poder crescer como treinador. Gostaria muito de ter a oportunidade de aplicar os conhecimentos que adquiri enquanto jogador. Algum dia quem sabe consigo voltar ao Vasco”

Futebol Chileno e expectativa para Copa América

O Chile passa por um momento de reformulação no futebol após ficar de fora da Copa do Mundo Rússia 2018. O responsável por guiar o time aos bons momentos é o técnico Reinaldo Rueda, que deixou o Flamengo para comandar a Seleção do Chile. Vergara afirmou que o momento é de pressão ao treinador.

“Ele chegou pressionado por causa da ausência do Chile na Copa do Mundo. Existe um clima de cobrança em torno do Tri da Copa América. Espero que ele consiga fazer o melhor e possa conduzir o Chile a uma vaga no Mundial do Qatar”.

Vergara crê que o ciclo vitorioso da equipe chilena chegou ao fim e espera que seja feita uma profunda renovação na Seleção.

“Acho que é o momento de renovação. Dar chances para jogadores jovens, porque assim o processo que começa agora tem uma melhor continuidade no futuro. Espero que os novos jogadores se adaptem rápido ao novo técnico para que o povo chileno volte a acreditar na nossa seleção”.

Fonte: Esporte24Horas