Análise: Vasco desperdiça, deixa espaço entre as linhas e vive dilema

03/11/2019 às 08h00 - CLUBE

O empate em 0 a 0 com o Fluminense não foi o resultado que o Vasco esperava conquistar neste sábado à noite, no Maracanã. Mais do que isso: a atuação no clássico, válido pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, não agradou. O Cruz-Maltino apresentou falhas que não são comuns desde quando Luxemburgo assumiu a equipe e precisa corrigí-las.

Quando não tinha a bola, principalmente no primeiro tempo, o Vasco teve suas linhas distantes e não conseguiu fazer a marcação no campo do Fluminense surtir efeito. Com a bola, o Cruz-Maltino não foi eficaz em uma de suas principais qualidades: o contra-ataque. Pecou na "hora H" e desperdiçou as poucas chances criadas. Sorte do Tricolor.

Veja, abaixo, a análise do Vasco no empate com o Fluminese:

Espaço entre as linhas

O Vasco começou mal o clássico no Maracanã. Sem a posse de bola, variava a marcação entre seu campo de defesa e a tentativa falha de pressionar a saída de bola do Fluminense. Como na imagem abaixo, o Cruz-Maltino em algumas oportunidades avançou sua linha mais ofensiva, mas abriu buracos no meio de campo.

Quando conseguia passar por essa primeira marcação do Vasco, o Fluminense ficava em superioridade numérica para atacar, e os jogadores comandados por Vanderlei Luxemburgo tinham de correr em direção ao seu próprio gol para evitar o pior. O Tricolor também não conseguia aproveitar os espaços deixados.

Rebotes

O que também prejudicou o desempenho do Vasco no primeiro tempo foi a desatenção em segundas bolas. A maioria das rebatidas pela zaga cruz-maltina ficava nos pés dos jogadores de meio de campo do Fluminense. Assim, os visitantes tinham dificuldade para puxar contra-ataques, que era a principal proposta no primeiro tempo.

Dilema no meio

A entrada de Guarín como titular fez Luxemburgo mudar a forma de jogar. Antes, o Vasco costumava marcar num 4-1-4-1, com a segunda linha de quatro formada por, quase sempre: Rossi, Raul, Marcos Júnior e Talles (com as costumeiras entradas de Bruno Gomes, Marrony e qualquer outra peça, mas sem mexer no esquema).

Agora, com Guarín no meio, o Vasco marcou diante do Fluminense num 1-2-1 no meio, com o colombiano mais próximo de Ribamar e com mais liberdade, sem tanta obrigação defensiva. Assim, não precisa se desgastar na marcação. A mudança, porém, deixou neste sábado o Cruz-Maltino com menos intensidade, mas mais habilidade e qualidade técnica para atacar.

Em entrevista coletiva, Vanderlei Luxemburgo assumiu o erro e disse que Guarín entrou em campo fora de posição, mas que o colombiano será titular na quarta-feira. No segundo tempo do clássico, Raul e Marcos Júnior foram utilizados.

Erros em contra-ataques

O Vasco, desde a chegada do técnico Vanderlei Luxemburgo, se especializou em ser praticamente letal em contra-ataques. Costuma ser uma equipe que se defende bem e sabe aproveitar as poucas chances que cria. Contra o Fluminense, porém, não foi assim.

Apesar de mais uma vez ter tido espaço para contra-atacar, o Vasco não conseguiu aproveitar as oportunidades que poderia ter construído com a velocidade de Rossi pela direita e Marrony pela esquerda.

No segundo tempo, inclusive, Rossi ficou no mano a mano com um zagueiro adversário e tomou a decisão errada na hora de achar um companheiro melhor posicionado para dar sequência à jogada. Assim, o Vasco desperdiçou as poucas oportunidades criadas no Maracanã.

- Nossa tomada de decisões no contra-ataque teve equívocos – disse Vanderlei Luxemburgo.

Fonte: GloboEsporte.com