Após 5 anos, lateral direita do Vasco pode ter novo dono

12/10/2020 às 08h04 - FUTEBOL

Desde que chegou ao Vasco, Yago Pikachu ocupa papel importante no elenco do Vasco. Sua quinta temporada no Cruzmaltino, no entanto, está longe de agradar. O jogador já não conta com o apoio da torcida, que passou a pegar no seu pé. O problema é que não parecia haver uma alternativa melhor para iniciar as partidas.

O jovem Cayo Tenório está disposto a mudar essa história. Ele iniciou o ano de 2020 como terceira opção na lateral direita, atrás de Cláudio Winck, negociado com o Marítimo, de Portugal, e tem ganhado cada vez mais espaço. Formados nas categorias de base do Vasco, o lateral assumiu a posição diante do Flamengo e teve a dura missão de marcar Bruno Henrique.

O cenário não começou nada bom. É que ele levou um cartão amarelo com menos de um minuto de jogo em dura entrada no atacante rubro-negro. Mesmo pendurado, ele fez grande partida, participando, inclusive, do gol marcado por Talles Magno. Ele roubou bola de Bruno Henrique e deu boa assistência para o companheiro.

Há um problema. O cartão amarelo recebido foi o terceiro do atleta, que terá que cumprir suspensão automática contra o Internacional, no domingo. Isso significa que Pikachu terá nova oportunidade para recuperar a posição. A tendência, no entanto, é que o jovem retome a posição na sequência da temporada.

Jovem tem apelido raiz

Cria de Senador Camará e depois Campo Grande, Cayo Tenório deu seus primeiros passos no futebol nas escolinhas da zona oeste do Rio de Janeiro. À época era apenas conhecido como Cayo Henrique. Foi nas divisões de base do Vasco que o jovem lateral direito acabou ganhando o apelido que iria fazer questão de não abrir mão posteriormente, contrariando a tendência do futebol atual de se desfazer das alcunhas quando se chega no profissional.

Apesar de parecer, 'Tenório' não é um sobrenome. Ele foi adotado após seus companheiros o acharem parecido com o atacante equatoriano Carlos Tenório, "O Demolidor", que atuou no Cruz-Maltino entre 2012 e 2013.

"Quando eu cheguei ao Vasco, a maioria dos meus amigos ficavam falando que eu era a cara do Tenório, aí acabou pegando esse apelido. Depois até eu não quis tirar. Acho que foi uma forma de carinho de todos e acabou ficando Cayo Tenório", declarou ao UOL Esporte.

O Vasco chega aos sete jogos sem vitórias (com cinco derrotas). O Cruzmaltino se mantém com 18 pontos na 10ª posição. O time volta a campo no domingo, quando medirá forças com o Inter em Porto Alegre pelo Campeonato Brasileiro.

Fonte: UOL Esporte