Árbitros falam sobre erro da final de 2014 que impediu o título do Vasco

21/04/2019 às 12h35 - CLUBE

Quem não se lembra de um lance polêmico envolvendo seu time que atire a primeira pedra. Erros de arbitragem, aquele lance de interpretação que até hoje gera discussão... E um palco dos momentos duvidosos foi o Campeonato Carioca. Se na decisão deste domingo teremos o auxílio do árbitro de vídeo, já parou para pensar como seria se ele existisse há pelo menos 30 anos?

Foi pensando nisso que lembramos de quatro decisões do estadual em que houve pelo menos um lance que gerou bastante debate. Escolhemos algumas finais de 1989 até hoje e selecionamos cinco lances que deram o que falar em quatro decisões.

Botafogo 1 x 0 Flamengo - 1989

O Botafogo amargava um jejum de 21 anos sem conquistar um título carioca. Até hoje alguns rubro-negros reclamam que no lance do gol, Maurício dá um empurrão em Leonardo e tira o lateral da jogada. Para os botafoguenses, não foi absolutamente nada e o gol é legal. Mas e aí? Foi? Não foi? Com vocês, nossos comentaristas.

Paulo Cesar de Oliveira

- Respeitaria a decisão de campo, lance interpretativo. Na minha opinião gol legal.

Salvio Spinola

- Considero que o braço nas costas desloca Leonardo. Para mim, falta

Sandro Meira Ricci

- O lance é muito interpretativo. Qualquer marcação seria aceita. Eu marcaria falta porque, apesar do contato do Mauricio ser muito suave, ele desloca o defensor que está em alta velocidade. Se eu fosse o VAR, só chamaria o árbitro para rever o lance se ele não tivesse visto esse contato. Difícil seria se ele descrevesse o lance exatamente como aconteceu e interpretasse que o contato não tinha sido suficiente. Ficaria de mãos atadas e não chamaria o árbitro porque ele viu o lance e o interpretou. O VAR precisa respeitar a interpretação do árbitro quando não é claramente equivocada.

Fluminense 3 x 1 Volta Redonda - 2005

Na terceira final que chegava em sequência no Campeonato Carioca, o Fluminense de Abel Braga havia perdido o jogo de ida para o Volta Redonda por 4 a 3. Na partida de volta, o Tricolor derrotou o Voltaço com gols de Tuta, Marcão e Antônio Carlos. Até hoje há quem reclame de falta em Lugão no primeiro e terceiro gols do Fluminense.

Paulo Cesar de Oliveira

- Como VAR, recomendaria a revisão do gol do Tuta, porque ele deslocou o goleiro (quadril), impedindo-o de fazer a defesa. Gol irregular. Mas confirmaria o gol do Antonio Carlos. Gol legal.

Salvio Spinola

- Falta de Tuta em Lugão. O braço de Tuta impede o goleiro do Volta Redonda de fazer a defesa. O gol do Antônio Carlos, para mim, é legal. Lugão vai ao encontro dele.

Sandro Meira Ricci

- Marcaria falta do Tuta pelo braço no ombro do goleiro que o atrapalha de alcançar a bola. Se fosse o VAR eu chamaria para anular o gol. Já no lance do Antônio Carlos, gol legal.

Flamengo 1 x 1 Vasco - 2014

Talvez o lance mais lembrado pelos torcedores do Vasco no passado recente. Perto do fim do jogo, a vitória do Cruz-Maltino dava o título para o time de São Januário. Aos 45 minutos do segundo tempo, Márcio Araújo aproveita rebote de cabeçada na trave e manda para o gol.

Paulo Cesar de Oliveira

- Como VAR, informaria que Márcio Araújo estava em posição de impedimento e interferiu no jogo ao tocar na bola, ganhando vantagem da posição que se encontrava.

Salvio Spinola

- Márcio Araújo está impedido. Nixon não, mas mesmo se fosse ele quem fizesse o gol, seria irregular.

Sandro Meira Ricci

- Esse lance não é interpretativo. É erro claro. O Márcio Araújo está impedido e o gol deveria ser anulado. Para a arbitragem no campo é muito difícil saber quem marcou o gol. Mas independentemente disso, mesmo que o gol tivesse sido marcado pelo outro jogador do Flamengo, o Márcio Araújo - que estava adiantado - interfere no goleiro. Impedimento deveria ser marcado de qualquer jeito. O VAR chamaria com certeza para anular o gol

Flamengo 2 x 1 Fluminense - 2017

Ano retrasado o Flamengo estava mais uma vez na final do Campeonato Carioca e encarou o Fluminense naquela vez. Aos 39 do segundo, Guerrero aproveita rebote de Diego Cavalieri após cabeçada de Réver. Mas antes foi falta do zagueiro do Flamengo em cima da defesa tricolor?

Paulo Cesar de Oliveira

- Como VAR, eu recomendaria a revisão, pois na minha interpretação Réver cometeu a falta no Henrique, ele deu um tranco antes da bola chegar. Gol irregular.

Salvio Spinola

- Não achei falta. Réver corre e o jogador do Fluminense corre na frente dele. Não está parado, ocupando o espaço. Tanto que ele nem reclama.

Sandro Meira Ricci

- É um lance tipicamente interpretativo. Em campo, dependendo do critério do árbitro, poderia até ser marcada falta do Réver pela carga no defensor do Fluminense, mas não entendo como erro do árbitro. Considerando que o árbitro está próximo e olhando a jogada, respeitaria a interpretação de campo e não chamaria o árbitro se eu fosse o VAR.

Fonte: GloboEsporte.com