Diretor da Penalty dá mais detalhes da parceria com o Vasco

17/06/2009 às 18h36 - CLUBE

Declarações de Eduardo Ruschel, diretor comercial e de marketing da Penalty, ao programa \"Só Dá Vasco\" da última 3ª-feira (16/06):

PARCERIA COM O VASCO
\"Realmente, foi um duelo. Acho que você [Fábio Fernandes] é um grande negociador. Já te falei isso. Você negociou muito bem a favor do clube. Mas, independente disso, acho que é importante para o Vasco. Acho que esse é um investimento que vai ser muito bem utilizado. Na verdade, eu vou repetir um pouco do que falei na entrevista coletiva. Mas a importância, para a Penalty, em estar com o Vasco da Gama hoje, se dá por três motivos básicos. Primeiro, pela história que o Vasco tem no esporte brasileiro, não só no futebol. O Vasco sempre defendeu uma bandeira que a Penalty defende muito também, que é da inclusão e da justiça social. O Vasco tem toda uma história. Se a gente relembrar 1924, quando o Vasco bateu no peito e com orgulho disse \"Sim, o nosso time é formado por negros e operários, e vai continuar dessa forma\", mesmo tendo todas as sanções que teve naquele ano, isso talvez para outras marcas, que venham de fora, não tenha tanta relevância. Para uma marca brasileira como a Penalty, tem muita relevância, porque essa é a história do nosso país.\"

\"Um segundo ponto, que eu acho que nos faz muito confiantes nesse relacionamento que a gente vai ter, é o profissionalismo demonstrado por toda a diretoria do clube. Para os torcedores, que muitas vezes não conhecem as pessoas que estão gerindo o clube, eu posso dizer com segurança que o Vasco está muito bem representado. Primeiro, pela transparência e pela liderança do presidente Roberto Dinamite. Segundo, pelas pessoas que estão hoje o assessorando. Você pega o próprio [José Hamilton] Mandarino, você, Fábio, e o Nelson [de Almeida]. São pessoas extremamente sérias, mostraram muita transparência durante todo o processo de negociação e, além de tudo, são grandes profissionais. Como eu te falei, a tua habilidade de negociação foi exímia dentro desse processo. Mas, mais do que tudo, a seriedade com que tudo foi conduzido. Esse é o segundo ponto, pelo qual a gente está muito confiante nessa parceria.\"

\"O terceiro ponto, que relata um pouco da importância do Vasco para a Penalty, é que a Penalty, nos últimos dois anos, cresceu 64%. Dentro do segmento brasileiro de médias e grandes empresas do segmento esportivo, foi a empresa que mais cresceu nesse período. Mas isso não refletiu tanto no Rio de Janeiro, porque a Penalty estava um pouco afastada do Rio de Janeiro. Existe uma necessidade de se aproximar muito mais com o público carioca. Hoje a gente está realmente em um processo de modernização da marca, conforme a gente já vem falando. Até 2014, a Penalty realmente quer ser uma marca internacional, apesar de que hoje ela já está presente em mais de 25 países. Ela está com operação no Japão. Da Argentina ao Japão, ela tem operação. Está há 39 anos dentro do cenário brasileiro, mas está em um momento muito rico da marca, de retomada, reconstrução da marca e modernização. Para isso, a gente está se equipando, na verdade, com muitos profissionais que vêm de fora. Eu mesmo, tive um trabalho de quatro anos dentro da Nike. A gente trouxe gente da Puma. O meu gerente de marketing, que é o Leandro [Ramiro], veio da Fiat. É uma turma que está se estruturando para realmente transformar uma marca em uma marca internacional. O Vasco, sem dúvida, vai ser um parceiro importantíssimo dentro desse processo, até porque, quando nós formos para fora, o Vasco com certeza vai junto com a gente.\"

IMPORTÂNCIA DA PARCERIA COM O VASCO
\"É um pouco do que eu falei. Primeiro, tem uma questão, que é dentro da estratégia de renovação da marca. O Vasco tem uma imagem muito bonita no futebol brasileiro e no esporte brasileiro. A aproximação maior com o público carioca, sem dúvida. A Penalty esteve muito afastada, eu acho, do Rio de Janeiro. Acho que é o momento de retomar, até porque, se a Penalty é a marca de futebol brasileira, e ela quer se internacionalizar, não tem como se internacionalizar sem estar muito próxima do Rio de Janeiro, até porque, o Rio de Janeiro é o nosso cartão de visita lá fora. Além disso, na verdade, o que a gente quer, é um pouco também do que o Fábio falou, porque eu acho que uma das coisas que pesou muito quando conversei com o Fábio foi que eu disse que queria fazer do Vasco o maior case de marketing esportivo no Brasil. A Penalty está há 39 fazendo isso. Se a gente for pegar todos os times que a Penalty patrocinou, o número de anos que a Penalty patrocinou no decorrer da sua história, a gente tem, linearmente, 120 anos de patrocínio a times de futebol. A gente ficou, por exemplo, 18 anos no São Paulo, 15 anos no Grêmio, 8 anos no Atlético. Mas, agora, a gente está com um time novo, um time de marketing novo.\"

PARTICIPAÇÃO DO TORCEDOR
\"Agora a gente não quer simplesmente fazer o fornecimento de uniforme, como hoje é muito comum. A gente quer é participar do dia-a-dia do clube, transformar muitas oportunidades em ações comerciais, que só visem o benefício do torcedor vascaíno. Na verdade, nós viemos para jogar junto com o Vasco e para jogar junto com o torcedor. Uma coisa que mostra muito bem isso é que o próprio desenvolvimento do uniforme do Vasco está muito baseado dentro de todo um estudo dos blogs que nós estamos entrando, do torcedor vascaíno. A gente está vendo muitas manifestações sobre uniforme, pesquisas com torcedores vascaínos. Tudo está sendo muito baseado ouvindo o torcedor vascaíno. Diferentemente de marcas internacionais, que muitas vezes têm que trazer uma linha toda, já que é desenhada lá fora e simplesmente é aplicada em clubes locais, no nosso caso a gente está livre para criar. Quem está nos ajudando na nossa criação é o próprio torcedor vascaíno.\"

QUALIDADE E DISTRIBUIÇÃO DO MATERIAL
\"Tem duas coisas, dois pontos que eu queria deixar bem claro, que são, primeiro, qualidade do material e distribuição. Como eu falei, são 39 anos da Penalty fazendo material. Talvez, a única vez que a Penalty tenha ouvido alguma coisa depreciativa sobre o material foi justamente no Vasco. Mas aí os motivos eram outros, e não a qualidade do material. Isso até ficou um pouco como uma imagem não boa. Mas foi a única vez na história desses 39 anos que nós tivemos algum problema de reclamação de qualidade de material. Mas ali o objetivo era outro.\"

\"Com relação à distribuição, são 8 mil pontos de venda pelo Brasil. O que a gente pode garantir é que em toda a história da Penalty, nós também nunca tivemos problema com relação à distribuição. Com relação à qualidade e distribuição do material, isso, na verdade, não é nada mais do que a obrigação de uma marca quando ela patrocina um clube. Isso é o básico.\"

OUTRAS AÇÕES
\"Agora, o que eu quero dizer é que a gente quer fazer muito mais do que o básico. A gente tem várias propostas de desenvolver trabalho em conjunto. O próprio fato da reforma dos vestiários, que o Fábio falou na entrevista coletiva. Ele disse \"A gente precisa de reforma do vestiário de São Januário\". A gente, na mesma hora, falou \"Somos parceiros. A gente quer estar junto com vocês nisso\". Nós estamos planejando algumas ações para associados com o clube. O próprio lançamento de uma linha casual, que hoje o Vasco não tem. O Vasco hoje basicamente tem só o uniforme de jogo. Tem toda uma linha casual e até modal, onde a gente vai usar a nossa marca Penalty-Cavalera para fazer essa linha modal. Tem uma infinidade de coisas. Sempre, todas essas oportunidades vão ser voltadas para o torcedor vascaíno. O objetivo, nada mais é do que a gente estar muito próximo, trabalhando junto, e trabalhando para o torcedor vascaíno, porque ele merece tudo isso, por toda essa história que esse clube tem no futebol brasileiro.\"

CONTRATO POR CINCO ANOS E PREMIAÇÕES
Fábio: \"Só falar uma coisinha, também que é uma coisa eu acho que é importante responder para alguns dos torcedores que eu tenho lido. Tenho ouvido perguntas sobre isso. Muitas pessoas falavam e perguntavam se cinco anos não seria um tempo demasiado para um contrato como esse que a gente está fazendo com a Penalty. Uma das preocupações era que talvez em cinco anos esses valores acabariam ficando muito menores. Logicamente que o nosso contrato pressupõe uma correção anual. Esses valores que eu estou falando são valores verdadeiros ao seu tempo. Se lá na frente houver qualquer questão inflacionária, ele vai ser sempre corrigido de acordo com os índices que estão disponíveis exatamente para isso. Está contemplado em contrato. São os valores que valem para hoje. Eles serão diferentes e maiores a cada ano que a gente tiver no contrato, por uma correção óbvia que tem sempre que colocar nesse tipo de contrato.\"

Eduardo: \"Além do que, também existe uma boa parte desse valor, que é um percentual sobre vendas de camisas. Se o Vasco crescer, independente de onde ele chegue, mas daqui a pouco ele está em uma final do Mundial, se vende mais camisas e o Vasco ganha mais dinheiro em função disso.\"

Fábio: \"Sem falar nos prêmios por títulos, que também estão contemplados no contrato.\"

DISPONIBILIZAÇÃO DO NOVO UNIFORME NAS LOJAS
Eduardo: \"Até isso foi falado na coletiva. O tempo para desenvolvimento de uma camisa... Na verdade, primeiro, você tem que estudar a história do clube. É isso que vai dar impulsos para você trabalhar o desenho da camisa. Toda a história do clube e do Vasco está sendo estudada. Mas todo esse processo normalmente leva por volta de dois meses. O que a gente está fazendo é trazendo isso para vinte dias. Em vinte dias a gente está estudando a camisa, desenhando, aprovando o desenho com a diretoria - com o próprio Fábio e o resto da diretoria do Vasco. E mostrando a camisa, porque uma coisa é aprovar o desenho, a outra é aprovar a camisa já confeccionada. A partir daí, então passar a produzir. A gente vai fazer em tempo recorde, porque sabe que a torcida do Vasco está querendo muito comprar a camisa. Na verdade, hoje está em falta. A gente sabe que hoje no mercado é muito difícil achar a camisa do Vasco. Nós estamos fazendo de tudo para que isso esteja no mercado o quanto antes. Dando uma data mais específica, dia 15 de julho a gente quer estar inaugurando a camisa em um jogo oficial, e com já a distribuição nas lojas. 15 de julho já tem a distribuição nas lojas. Até 15 de agosto a gente quer colocar 40 mil camisas no mercado, o que vai dar para suprir uma demanda inicial. Mas, o mais importante, é uma camisa que é pensada de acordo com o torcedor vascaíno. A gente tem ouvido muito questões sobre camisas que saíram da tradição do Vasco. Nós vamos voltar para a tradição do Vasco. O Vasco não é uma marca para se brincar. O Vasco é uma instituição séria, que tem muita história. Nós vamos respeitar essa história do Vasco, e garantindo a melhor tecnologia em tecido, para que realmente se tenha a melhor qualidade possível. Com certeza, o torcedor vascaíno não vai se decepcionar com a camisa. Muito pelo contrário, vai ter, acho que se não a melhor, uma das melhores camisas que o Vasco teve ao longo da sua história.\"

UNIFORME PERSONALIZADO
\"Amanhã [hoje] está indo o pessoal de marketing da Penalty e um alfaiate. Ele vai estar tirando a medida de todos os jogadores, para que seja realmente no tamanho adequado, no tamanho certo, porque também ele tem que estar muito confortável. A última coisa que o jogador tem que se preocupar é com o uniforme. Ele tem que se preocupar é em jogar futebol e fazer a alegria a torcida. O uniforme tem que ser um meio, mas não pode atrapalhar durante o jogo, tem que ser muito bem confeccionado, no tamanho do jogador. Isso é uma proposta nossa também.\"

\"É um prazer poder participar e falar para o torcedor vascaíno. Na verdade, eu estava ansioso por esse momento, porque eu acho que tem muita ansiedade também por parte do torcedor, com relação à Penalty, ao material e ao desenho da camisa. Acho que a gente pôde esclarecer um pouco. E também deixar muito claro e muito seguro o torcedor, porque hoje o Vasco está com uma diretoria de altíssimo nível. A gente pôde ver pelo depoimento do Fábio, falando muito com o Mandarino e com o próprio Roberto Dinamite. Não existe e não pode existir preocupação com relação ao tipo de planejamento e de administração que está se fazendo com o Vasco da Gama. Na verdade, planejamento é a palavra, porque uma coisa é administrar o dia-a-dia, e a outra coisa é fazer o planejamento para os próximos anos. A gente tem visto que no futebol brasileiro os times, clubes que fizeram um planejamento estratégico do clube hoje estão em uma situação muito mais vantajosa. Isso é a cabeça de quem hoje está gerindo o Vasco da Gama. Estejam confiantes em repetir e estarem no topo do futebol brasileiro mais rápido do que vocês pensam e do que todos nós pensamos. O Vasco e a Penalty com certeza vão ter uma parceria de sucesso pelos próximos cinco anos.\"

Fonte: Netvasco