Botafogo x Vasco: Atacantes e times em momentos distintos

02/02/2020 às 08h10 - CLUBE

Pedro Raul e Lucas Ribamar. Apenas um ano de idade separa os dois (23 contra 22), com carreiras ainda longas e cheias de provações pela frente. No clássico desta tarde, às 16h, entre Botafogo e Vasco, entrarão em campo cheios de responsabilidade, vestidos de 9, mas cercados por atmosferas bem diferentes no Estádio Nilton Santos.

De certa forma, o que vale para cada um deles conta também para os dois times neste começo de temporada. O Botafogo e o início movido pela esperança de sua torcida, empolgada com a contratação do japonês Honda, e também aliviada pelas duas primeiras atuações positivas de seu centroavante. Do outro lado, o Vasco que parece caminhar no breu, descrente do que pode fazer, com o mesmo ceticismo que a torcida nutre pelo reserva de Germán Cano.

O tempo em campo dos dois é semelhante em 2020. Pedro Raul soma 180 minutos, duas partidas seguidas como titular, já devidamente coberto de elogios pelo técnico Alberto Valentim. Lucas Ribamar acumula 124 minutos e até agora não viu Abel Braga falar seu nome em coletivas pós-jogo. O número de gols marcados e assistências ajudam a explicar a discrepância. São dois gols e uma assistência do atacante alvinegro. Já o vascaíno está zerado, e viveu o anticlímax ao deixar o dele em cima do Flamengo e ver o lance ser anulado pelo primeiro VAR do Estadual deste ano.

Na gangorra do futebol, Botafogo e Vasco e Pedro Raul e Lucas Ribamar inverteram as posições. Quem esteve de castigo ontem, coloca o outro no lugar mais alto do brinquedo hoje. O jogador alvinegro, que rodou por times menores até conseguir a vitrine de um grande, brilha mais atualmente que o vascaíno, nascido na base do Botafogo e que sempre atuou por times de peso no futebol brasileiro. O alvinegro, que ano passado terminou o Brasileiro lutando para não ser rebaixado, começa 2020 mais encorpado que o time de São Januário, que fechou 2019 seguro na Série A e embalado pela associação em massa protagonizada por seu torcedor.

Estratégias diferentes

Para o clássico desta tarde, alimentam também expectativas distintas. Depois de duas derrotas com a equipe reserva, o Botafogo se recuperou com seis pontos em dois jogos e segue com boas chances de classificação para a semifinal. Para o técnico Alberto Valentim, é possível dar atenção tanto para a competição quanto para a Copa do Brasil — a equipe treinada por ele estreia quarta-feira, contra o Caxias, no Rio Grande do Sul.

—Nós vamos pensar só no Vasco. Vamos avaliar condições físicas para ver quais serão os jogadores que irão a campo e depois pensar na Copa do Brasil — explicou.

Já Abel Braga foi taxativo: prioriza a Sul-Americana — o Vasco joga quarta-feira contra o Oriente Petrolero — e colocará uma equipe de reservas para atuar no Nilton Santos. Após o adiamento da partida contra a Cabofriense, de quinta para sexta-feira, não passa pela cabeça do treinador escalar os titulares com intervalo de apenas dois dias.

— O clássico só teria importância para a gente se tivéssemos vencido a Cabofriense. Não pensei nada em domingo. Não aconteceu, então, vamos ver quem vai estar bem — resumiu.

Ficha do jogo

Botafogo: Gatito, Fernando, Benevenuto, Carli e Guilherme Santos; Thiaguinho, Cicero e Bruno Nazário; Luiz Fernando, Luis Henrique e Pedro Raul.

Vasco: Jordi, Cayo Tenório, Ulisses, Miranda e Alexandre; Andrey, Marcos Júnior e Caio Lopes; Tiago Reis, Vinicius e Lucas Ribamar.

Local: Estádio Nilton Santos. Horário: 16h. Árbitro: Alexandre Vargas Tavares de Jesus. Transmissão: TV Globo, Premiere e Rádio CBN.

Fonte: O Globo Online