Bruno César aposta em novo posicionamento para dar volta por cima

26/06/2020 às 08h27 - FUTEBOL

Depois de três meses afastado pela direção do Vasco da Gama, Bruno César está de volta. O jogador chegou no início de 2019 com grande expectativa da torcida, teve uma sequência maior no carioca, mas perdeu espaço e terminou a temporada na reserva. Quando dentro de campo não correspondeu ao esperado. Na sequência foi afastado e agora reintegrado a pedido do técnico Ramon Menezes. Pela primeira vez o meia falou sobre tudo o que passou em entrevista coletiva transmitida pela VascoTV.

“Foram meses difíceis, nunca tinha acontecido comigo, 3 meses treinando afastado sem uma luz no fim do túnel, ninguém me falava nada, mas isso é passado. Tenho certeza que darei a volta por cima. Não levo mágoa de ninguém. Estou aqui porque eu quero vestir essa camisa mesmo depois de tudo que passei nesses 3 meses: afastado, sem respaldo e sem criticar o clube. O Vasco da Gama está acima de qualquer jogador e temos que respeitar independente de não pagar em dia. Se fosse qualquer jogador poderia ter colocado na justiça e eu quis estar aqui, quis ficar e fazer um acordo que fosse bom para o clube”, disse.

CONTINUE A LER

VASCO

Rodrigo volta a provocar Fred e Guerrero em suas redes sociais

CONTINUE A LER

FLUMINENSE

Hudson vê pressa do retorno do Carioca ligada à interesses individuais: 'só não enxerga...

Bruno César ainda enfrenta a desconfiança dos torcedores que depositaram uma enorme expectativa em 2019 e se frustraram. O jogador tem ciência que precisa colocar em campo o futebol que o levou para Europa e o permitiu jogar a maior competição de futebol do mundo.

“A confiança eu vou ter que resgatar durante os jogos mostrando que aquele foi um ano atípico. Não posso chegar e falar que vou mudar, tenho que mostrar no campo. Joguei quase sete anos na Europa, quatro Champions League, uma ou duas Europa League, fui convocado para a seleção. Minha carreira fala por si. Não poderia jogar por Benfica e Sporting à toa. Coloquei na minha cabeça que estou devendo. Cheguei e tinha torcida do Vasco com uma confiança em cima em mim e eu não pude oferecer esse respaldo para eles. Sei que estou devendo e que não fiz um bom ano”, reconheceu o jogador.

O retorno de Bruno está diretamente ligado com a efetivação de Ramon Menezes que conversou com o meia ainda quando Abel Braga era o treinador e ele auxiliar técnico.

“Quando estava afastado alguns clubes me procuraram e uma das coisas que ele me falou foi para eu não ir, para focar que tudo isso ia passar e minha hora ia chegar, para eu confiar nele. O tanto que ele jogou não tenho palavras, agora está em uma função e tudo que viveu está mostrando para gente e ajudando a gente. Tenho certeza que será grande treinador como foi jogador, entende muito e tem carisma grande com nosso grupo. Conhece bastante os jogadores, e vai dar certo, já vem dando nos treinos com ele”, contou o meia.

Bruno César deve ser titular na partida do próximo domingo contra o Macaé. No Vasco ele já atuou como ponta e falso nove, além de meia central, a sua posição de origem, onde deve ter uma nova chance com Ramon.

“Meu posicionamento está sendo mais atrás como gosto de jogar, sai do futebol na época do Santo André jogando assim, a gente foi vice-campeão paulista. Posicionamento que eu gosto, a gente pega a bola de frente, mas estou aqui para ajudar. Lógico que é melhor jogar onde a gente se sente bem, mas estou aqui para ajudar ao Vasco e acho que dentro de campo e com o pessoal ajudando vai dar muito certo”, revelou.

Confira as respostas de Bruno Cesar:

Gol contra o Fluminense

Foi um dos gols mais bonitos que já fiz, foi importante, contra um rival, dentro de São Januário, lugar que nunca tinha jogado, no momento precisava daquele gol também. Fiquei muito feliz.

Nova chance

A gente sabe que torcedor cobra, mas cobram de quem tem qualidade e eu fico feliz, sei que ano passado foi ano atípico e diferente, complicado para mim, ano de adaptação. Esse ano eu tenho certeza que vai ser diferente por tudo que vem acontecendo, fiquei afastado 3 meses, depois a pandemia e estou voltando mais forte e consciente que preciso ajudar o Vasco. Fico feliz de ter essa outra oportunidade, estou muito feliz e motivado.

Relação com a torcida

É bastante responsabilidade, sabemos que não se refere apenas a um escudo, por trás tem uma torcida completamente apaixonada, história, craques, e ter o privilégio de vestir essa camisa uma segunda vez. É uma sensação única. Cada clube tem uma sensação, seu jeito de vestir a camisa, a sensação. Corinthians é de um jeito e Vasco de outro e você leva isso para campo. A gente sabe que o Vasco vem de anos complicados, mas a paixão do torcedor pode falar mais alto e a gente ajudar o Vasco da melhor maneira possível.

O que espera para esse ano?

Claro que o ano passado foi complicado, ano de adaptação, no futebol você tem que estar adaptado quando clube precisa de você. Tive conversa boa com Ramon, ele deixou claro que contava comigo e só dependia de mim para eu estar no grupo e mudar o ano passado. Ele confiou em mim e pude treinar bastante nesses 3 meses para me apresentar.São treinos completamente diferentes e eu procurei estar mais perto possível disso, fiquei desde de janeiro afastado então pra mim não só 3 meses e sim 6. Mas acho que pude voltar melhor que saí e cheguei ano passado, estou adaptado e tranquilo. Aprendi na Europa que jogando ou não tem que estar ali ajudando seus companheiros, ter o dia a dia com a cabeça boa. Não estava jogando, mas estava tentando ajudar o pessoal mais novo, não fui egoísta, tem jogador que fica com a cara feia, amarrada, não treina, ruim de grupo, se não fosse por essa questão não teriam optado pela minha volta.

Conversa com Ramon

Ramon me ajudou bastante ano passado, podia conversar com ele, trocar ideia e esse ano está me ajudando bastante. Quando estava afastado alguns clubes me procuraram e uma das coisas que ele me falou foi para eu não ir, para focar que tudo isso ia passar e minha hora ia chegar, para eu confiar nele. O tanto que ele jogou não tenho palavras, agora está em uma função e tudo que viveu está mostrando para gente e ajudando a gente. Tenho certeza que será grande treinador como foi jogador, entende muito e tem carisma grande com nosso grupo. Conhece bastante os jogadores, vai dar certo, já vem dando os treinos com ele.

Preparação

Tive um preparador físico particular nesses três meses e a esposa dele era nutricionista e acho que isso ... Então eu tive o Murilo e a Ilana com a cartilha do Vasco, tínhamos essa troca de informações, na parte de alimentação com Paulinho nutricionista. Completamente diferente fazer o treino sozinho, diferente, procurei me adaptar. Quando eu coloco uma coisa na cabeça, vim focado nessa questão de melhorar, estou três meses... pessoal do Vasco, o Léo me passar esse feedback e a gente caminhou junto, como Léo disse 77 dias parados, a volta tem precaução por lesões, voltei bem, estou me sentindo bem e é isso que importa.

Pq acreditar que dará a volta por cima

Não foram 18 meses, eu joguei 1 ano, 6 meses fiquei afastado, são 12 meses. Acho que fiquei muito tempo na Europa e lá eu joguei diferente daqui, falta de pagamento acho que não, a gente joga pela paixão e isso não me atrapalhou. A confiança eu vou ter que resgatar durante os jogos mostrando que aquele foi um ano atípico. Não posso chegar e falar que vou mudar, tenho que mostrar no campo. Joguei quase 7 anos na Europa, 4 Champions League, 1 ou 2 Europa League, convocado para a seleção. Minha carreira fala por si. Não poderia jogar por Benfica e Sporting à toa. Coloquei na minha cabeça que estou devendo. Cheguei tinha torcida do Vasco com uma confiança em cima de mim e eu não pude oferecer esse respaldo para eles.* Sei que estou devendo e que não fiz um bom ano. Mas muitas coisas aconteceram. Tive boa sequência no carioca, depois não tive sequência de jogos, joguei aberto contra o Palmeiras, achei que não fiz mal jogo, eram líderes e saímos com empate. Joguei com CSA em uma posição que nunca tinha jogado como falso 9 vindo buscar o jogo, completamente diferente. Mas isso não vem ao caso, temos que respeitar e jogar onde ele coloca. E logo em seguida não tive mais uma sequência. Já foi e tenho certeza que com o Ramon, que sabe onde gosto de jogar e onde vai me dar uma sequência, vai precisar de todo mundo nesse ano atípico. Não cheguei no Benfica, no Sporting e joguei 4 Champions League à toa"

Torcida critica e elogia

Quando você é elogiado nem sempre está tudo certo e nem sempre quando é criticado tá tudo errado. Torcida tinha uma esperança de um grande jogador e eu não pude corresponder. Mesmos caras que te aplaudem te criticam, tenho cabeça boa nesse sentido, sabemos que é complicado por tudo que se passa, te olham desconfiado, mas estou aqui porque eu quero vestir essa camisa. Depois de tudo que passei nesses 3 meses afastado, sem respaldo e sem criticar o clube, qualquer outro... O clube Vasco da Gama está acima de qualquer jogador e temos que respeitar independente de não pagar em dia. Clube com muitos torcedores apaixonados, nenhum jogador é maior que clube e por isso quis ficar, sabia que podia ajudar. Se fosse qualquer jogador poderia ter colocado na justiça e feito várias coisas aí e eu quis estar aqui, quis ficar e fazer um acordo que fosse bom para o clube. Algumas coisas acontecem, mas estou feliz de estar de volta e certeza que vou ajudar.

Fonte: Esporte News Mundo