Campello, sobre ação de Maxi contra o Vasco: "Não sei o que levou a mudar"

30/05/2019 às 14h24 - CLUBE

Após a cerimônia de cessão do terreno na Barra da Tijuca ao Vasco para construção de um centro de treinamento, o presidente do clube, Alexandre Campello, se disse surpreso com a atitude de Maxi López de entrar na Justiça. O atacante oficializou o pedido de rescisão com o clube na última segunda-feira e, segundo o dirigente, na única conversa que teve em particular do jogador, ouviu que seria de forma amigável.

Ele confirmou que o clube deve dois meses de salário ao jogador, mas afirmou que o representante de Maxi, por telefone, na véspera de reunião marcada com o clube, cancelou o encontro e avisou da ação judicial, fazendo cobranças que "não são verdade".

 

Campello inicialmente frisou ter respeito pelo jogador e explicou que Maxi não estava satisfeito com a forma como os treinadores "conduziram" os acontecimentos.

- Temos um respeito muito grande pelo Maxi. Ele foi muito importante na campanha de 2018. Sempre tratamos o jogador com muita distinção, com muito cuidado, de uma maneira especial, obviamente a gente não pode interferir nas escolhas dos treinadores. Ele me procurou dizendo que não estava satisfeito com os acontecimentos, da maneira como os dois treinadores conduziram, que não estava feliz, já tinha problemas com a família, com os filhos, e que gostaria de rescindir o contrato de uma maneira amigável, não causar nenhum problema e tudo mais.

 

O dirigente relatou que, em seguida, pediu que o agente de Maxi procurasse o clube para tratar da rescisão.

- Esperei um tempo antes de conversar com ele na expectativa de que repensasse e voltasse atrás nessa decisão. Ele quando se encontrou comigo ratificou essa decisão. Então o futebol passou a tratar com o procurador dele para que fosse feita a rescisão.

 

O presidente cruz-maltino afirmou que só então tomou conhecimento do processo. A reunião, segundo ele, foi cancelada pelo representante, que avisou da ação.

- Marcaram uma reunião para terça-feira e aí, surpreendentemente, na segunda-feira tomamos conhecimento dessa ação. É uma surpresa para mim esse comportamento, não sei o que o levou a mudar. Essa foi a conversa que tive com ele, a única, e depois disso tínhamos uma reunião marcada para terça e, na segunda, o representante dele ligou cancelando a reunião e dizendo que estavam entrando na Justiça. Alegou uma série de coisas que não são verdade, como falta de pagamento de auxílio moradia, entre outros. De fato o Vasco tem dois meses de salário atrasado com ele. É isso.

Na última segunda-feira, quando tornou a rescisão contratual oficial, Maxi se pronunciou por nota:

- Independente de questões contratuais não cumpridas (para tanto, procuro meus direitos com o intuito de dar sequência, de forma imediata, à minha carreira), a palavra do homem pra mim sempre valerá mais do que qualquer registro no papel. Estou de saída porque não quero que me façam sentir que estou prejudicando um clube que já ocupa um espaço importante no meu coração.

Fonte: Globoesporte.com