Carlos Brazil fala sobre prioridades, investimentos na base e Copa SP

07/05/2020 às 19h01 - CLUBE

Em nova live promovida pela Vasco TV, o gerente de futebol de base do clube, Carlos Brazil, participou de coletiva nesta quinta-feira. Perguntado sobre a captação de atletas feita com foco na Copa São Paulo de Futebol Júnior, Carlos disse que a prioridade cruz-maltina é formar em casa. E ainda destacou que acredita numa produção em massa de jogadores oriundos das categorias sub-17 e inferiores.

- Do sub-17 para baixo, não tenho a menor dúvida que estamos entre os melhores elencos do Brasil. Se vai ganhar ou não, é outra história porque do outro lado também tem trabalho. De 17 anos para baixo, digo que o Vasco vai ter uma produção absurda porque é muita qualidade que a gente vê lá.

Por mais que não descarte a contratação de atletas com idade superior a 17 anos, Brazil usou um dado estatístico para sustentar o modelo adotado pelo Vasco. Destacou que jovens envolvidos em transações de altíssimo valor nos últimos tempos sempre tiveram longa trajetória dentro de seus respectivos clubes.
 

Rodrygo, ex-Santos, Gabriel Jesus, ex-Palmeiras, e os ex-flamenguistas Lucas Paquetá, Vinícius Júnior e Reinier são alguns dos exemplos mais recentes. Dentro do Vasco, os últimos que mais renderam aos cofres do clube foram Paulinho, em 2018, e Philippe Coutinho, em 2010.

- A gente precisa entender alguns aspectos. Tenho batido nessa tecla. Temos que formar jogadores dentro do clube e trazer jogadores de fora pontualmente. O ideal é a formação, vamos privilegiá-la. É importante ter uma captação muito forte quando os meninos ainda são crianças. Para que se formem dentro do clube e criem identidade. A transição para o profissional é melhor dentro dessas condições sem dúvidas.

Veja outros tópicos:

Investimento em meninos desde crianças que renderam grandes transferências

Se você pegar jogadores que foram vendidos nos últimos anos no Brasil por valores altos, você vai ver que são meninos formados dentro do clube desde 9, 10 anos de idade. A gente tem que estar ligado nesses dados para que entender o que é melhor.

O futebol brasileiro mudou. Hoje você trazer um atleta com muita qualificação aos 17, 18, 19, 20 anos de idade, ele custa dinheiro. Não tem como ser diferente.

O Vasco tem um orçamento apertado. Está se reestruturando financeiramente para que daqui a dois ou três anos, a gente possa trazer jogadores contratados se houver necessidade e com a qualidade requerida.

Captação na Copa São Paulo e contratação de dois jovens da Itapirense (meia Andrei e goleiro Maranhão)

Quando acaba a Copa São Paulo, o nosso departamento de captação, que é excelente, tem mapeado praticamente todos os jogadores da competição. A captação fica totalmente voltada para a Copa São Paulo. E acompanham todos os jogos, tanto lá quanto na televisão.

E os melhores jogadores são disputados pelos grandes clubes. E alguns com possibilidade de orçamento para compra de jogadores já na base. Então fica difícil para o Vasco disputar com esses clubes.

A gente tem que trazer jogadores pontualmente desde que também não haja muito interesse desses clubes que pagam. Nessa Copa São Paulo, fizemos uma tentativa de 10 contratações e conseguimos trazer esses dois meninos da Itapirense.

São dois meninos que chegam de um clube de menor investimento, tem alguma dificuldade. O Vasco é um clube grande, tem uma camisa pesada. Isso tudo tem que ser avaliado no decorrer do tempo. Isso tudo ficou prejudicado. A gente possivelmente não vai conseguir prosseguir com um dos jogadores (o meia Andrei) porque ele está no último ano do sub-20.

 

Foto: Vasco TVCarlos Brazil
Carlos Brazil

Fonte: Globoesporte.com