Caso eleito, acordo de Brant com mídia espanhola pode proporcionar receitas

17/10/2020 às 10h02 - CLUBE

Uma das polêmicas na eleição do Vasco é o acordo anunciado pelo candidato Julio Brant com a empresa de mídia espanhola Mediapro. Os sócios da companhia que vende os direitos de televisão das eliminatórias da Copa, que trabalhou no Brasil durante as Olimpíadas, trabalharam também na última Champions League, em Lisboa, e têm acordos de criações de ativos com Barcelona e Real Madrid. É deles a licença para os museus dos dois gigantes espanhois.

Muita gente nos bastidores tem entendido que um eventual acordo entre a nova diretoria do Vasco e a Mediapro serviria para encarecer custos da Vasco TV, para os sócios. Na verdade, o que se pretende é estudar novos mecanismos de receita, que envolvam tanto as mídias digitais e sociais, quanto a hipotética criação de um grande museu do Vasco da Gama.

Qualquer que seja o novo presidente, será necessário ter outras fontes de receita, à parte a bilheteria dos jogos, a televisão e os planos de sócio torcedor. Foi o que fizeram os clubes mais modernos do mundo e também os brasileiros.

A volta a ter poder de investimento exige a criatividade e novas fontes de receita. Pode-se discutir se o caminho é uma associação com a Mediapro. Não dá para debater a necessidade de entender o mundo digital e levar o Vasco para ele.

Fonte: Blog do PVC - ge