Castan e assessoria de Brant evitam comentar declaração polêmica

03/12/2018 às 20h55 - FUTEBOL

Capitão da equipe e um dos jogadores mais queridos pelos torcedores do Vasco, Leandro Castan acabou se metendo num verdadeiro "vespeiro de marimbondos" ao comentar sobre o conturbado ambiente político do clube. Após se livrar do rebaixamento no empate em 0 a 0 com o Ceará, o zagueiro relatou um boato sobre uma suposta "mala branca" por parte de integrantes da oposição para incentivar os cearenses a vencerem o Cruzmaltino.

"Se eu falar que não influencia vou estar sendo mentiroso (sobre o ambiente político). Tentamos deixar isso de lado, mas sabemos que o Vasco tem essa briga política. Sabemos que em momentos a oposição quis chegar ao poder. Não quero me meter nisso, mas acabou atrapalhando mesmo. Ouvimos comentários a semana toda onde falaram até que a oposição quis oferecer dinheiro para o Ceará. São essas coisinhas que acabam atrapalhando", disse ainda na zona mista do estádio do Castelão.

Crítico ferrenho do grupo "Sempre Vasco" - do ex-candidato Julio Brant - o ex-vice de futebol Eurico Brandão, o Euriquinho, filho de Eurico Miranda, aproveitou a declaração para atacar no Twitter os opositores que na eleição foram da chapa amarela.

Quer dizer que os santinhos tricolores amarelos se juntaram para fazer uma para motivar o adversário!!! Foi isso mesmo? Estão se especializando!!! Antes gostavam mais de sabotar contratações ou trabalhar na arbitragem.

Eurico Angelo Brandão De Oliveira Miranda (@euricobmiranda) 3 de dezembro de 2018

O ex-jogador e ídolo vascaíno Pedrinho, que é integrante do grupo político "Sempre Vasco", reprovou a declaração de Leandro Castan e pediu para que o zagueiro "se preocupe em jogar bola":

"Somos oposição e essa acusação é grave. Conheça as pessoas antes de falar. O vascaíno de bem se sentiu ofendido. Se preocupe em jogar bola, pois esse ano tivemos o pior aproveitamento do século. Quem prejudica o Vasco é quem tem a caneta na mão. Se cuida, capitão!.

Ainda na mesma entrevista, Castan saiu em defesa do presidente do Vasco, Alexandre Campello, ressaltando que o dirigente esteve ao lado do elenco nos momentos difíceis.

"Conversei sempre com o Campello, que procurou sempre dar tranquilidade para nós. Hoje mesmo (no dia da partida contra o Ceará) ele reuniu o grupo e chamou toda a responsabilidade para ele, mesmo eu achando que não é toda dele porque nós que entramos em campo. Mas ele sempre colocou a cara, mesmo nos momentos difíceis. Espero que o ano que vem seja um ano de vitórias", disse.

Em suas redes sociais, Leandro Castan foi reprimido por um torcedor pelo depoimento e respondeu com emojis. 

O UOL Esporte entrou em contato com a assessoria de Leandro Castan se colocando a disposição para que o jogador esclarecesse melhor sua declaração, mas segundo ela, o zagueiro prefere não tocar mais no assunto.

A assessoria de Julio Brant também foi acionada, mas seu grupo político, a princípio, prefere não comentar o que classifica como "boataria".

A briga política no Vasco ocorre desde a eleição do fim do ano passado e resultou em diversas batalhas jurídicas. No mês passado o resultado do pleito chegou a ser cancelado pela Justiça e a convocação de uma nova votação foi feita para dezembro, mas por conta de um efeito suspensivo, esta decisão foi temporariamente suspensa.

Fonte: UOL Esporte

Mercado

Confirmado

Você aprova a saída do lateral Lenon?

Especulações Mercado