Especulações e Saídas clique aqui

CBF analisa pedido do Vasco para jogar clássicos do Brasileiro em São Január

11/04/2006 às 18h21 - CLUBE

O Campeonato Brasileiro ainda nem começou e já existe uma ameaça de o Superior Tribunal de Justiça Desportiva, STJD, precisar intervir. O Vasco da Gama manifestou o desejo de mandar os clássicos pela competição nacional em São Januário, e o assunto poderá parar no \"tapetão\".

\"O Vasco fundamentou seu pedido num dispositivo do regulamento. Ele quer exercer o mando de campo em seu estádio, mas na tabela já está determinado que os jogos serão no Maracanã\", explicou Rubens Approbato, presidente do STJD.

\"É um pedido formal do Vasco perante o departamento técnico da CBF e o Dr. Virgílio está analisando e mantendo contato com o Vasco para impedir qualquer litígio\", emendou o mandatário.

Por ora, a contra-argumentação de Virgílio Elísio da Costa Neto, representante do departamento técnico da CBF, leva em consideração dois fatores relevantes neste princípio de indefinição.

\"Antes de o Vasco pedir já havíamos marcado para o Maracanã e a nossa intenção é que os clássicos sejam nesse estádio, onde é mais seguro. Em São Januário as condições seriam menos favoráveis\", avaliou.

As estatísticas do ano passado explicam a razão do Gigante da Colina tentar trazer as partidas contra os rivais para os seus domínios. No Brasileirão de 2005, o Vasco jogou contra Botafogo, Flamengo e Fluminense em São Januário, saindo vencedor dos três encontros.

O jogo com o Botafogo foi o mais polêmico. Inicialmente, o time cruzmaltino havia perdido por 1 a 0, gol de Alex Alves, de pênalti. No entanto, o jogo fez parte da denúncia do escândalo do apito, envolvendo o árbitro Edílson Pereira de Carvalho, e teve de ser remarcado. Desta vez, o Vasco venceu por 1 a 0, gol de Romário.

Já as vitórias contra Flamengo e Fluminense não foram contestadas. Contra o Rubro-Negro, o time marcou 2 a 1, contando com um gol contra de Júnior Baiano e outro de Romário. Por fim, o triunfo sobre o Flu teve um placar de 2 a 0, com o Baixinho marcando duas vezes.

Fonte: Pelé.Net