"Chegar no topo tudo bem, se manter é difícil", declara Andrey

07/07/2020 às 20h23 - FUTEBOL

Destaque do Vasco ao lado de Cano em 2020, o volante Andrey explicou por que evoluiu tanto em relação à temporada passada. O atleta acredita que a mudança de postura estimulada por uma autorreflexão sobre as próprias atitudes foi fundamental para crescer.

- Esse momento de 2018 que fiquei sem jogar acho que foram um dos mais importantes da minha carreira, tentei tirar o máximo de lições. Acho que cometi alguns erros, errei muito, então procurei amadurecer. Coloquei na minha cabeça de que eu tinha correr mais, trabalhar mais e mudar essa chave. Não posso ser mais um que as pessoas colocam expectativa e não dá certo. Até o começo do ano estava na reserva, mas sempre procurei trabalhar. Surgiu oportunidade onde todos os reservas jogaram, contra o Flamengo e depois contra o Botafogo.

- A mudança de chave acho que foi quando disse que eu tinha de mudar minha forma de jogar e o meu jeito. Acho que essa foi a mudança do Andrey de 2019 para 2020. Mas não tem nada feito. Chegar no topo tudo bem, se manter é difícil. Em 2018, eu alcancei um bom nível e não mantive em 2019. Os grandes jogadores são os que mantêm o nível em todas as temporadas. Melhorei muito na minha parte física. Emagreci bastante, hoje graças a Deus estou no ideal da minha parte física.

Confira outros tópicos:

Pretende apoiar mais para atenuar a "Canodependência"

- Tenho chegado pouco na frente, era uma das minhas características. Era acostumado a chegar na área e fazer gols. Agora jogando de primeiro, eu posso chegar, mas minha primeira função é marcar, ajudar a defesa e proteger meu goleiro. Se tiver chance, eu tenho trabalhado minha finalização e aprimorado cada vez mais. A gente depende do Cano, que é o nosso 9.

Claro que tem de ser dividido também porque se ele não tiver num bom dia, outros tem que fazer os gols. Minha função é dar o passe para ele. Se a bola chegar limpa, ele vai fazer o gol. Cobrá-lo também (risos), depois daquela jogada ele poderia ter me consagrado.Minha primeira função é marcação. Claro que se eu puder chegar como elemento surpresa e puder fazer gol, eu vou ficar muito feliz.

Mágoas com Alberto Valentim?

- Não tenho mágoa nenhuma do Valentim, sempre venho respondendo essas perguntas. É um cara que me ajudou bastante dentro do Vasco, me fez evoluir. Tem coisas que acontecem dentro do vestiário e se resolvem dentro do vestiário. Depois a gente conversou, brincou. É um cara que agradeço por ter passado pelo Vasco.

Fonte: GloboEsporte.com