Clima caseiro para evitar surpresa no Vasco

12/01/2006 às 10h27 - FUTEBOL

O alerta veio do campeão brasileiro. A derrota do Corinthians para o Noroeste por 1 a 0, na estréia do Paulista, trouxe à prática uma tese que vem sendo sustentada por Renato Gaúcho desde a apresentação do grupo: a exemplo de 2005, os clubes grandes vão ter muitas dificuldades no início dos regionais.

E para evitar surpresas desagradáveis no caso vascaíno, o treinador aposta, entre outras coisas, numa fórmula caseira: o Vasco é o único entre os quatro grandes que faz sua pré-temporada no Rio, sem se desgastar em viagens e treinando sob o mesmo sol escaldante que enfrentará no Estadual, a partir da estréia de domingo, contra o Madureira, em São Januário.

- Os times grandes, que disputaram o Brasileiro, têm poucos dias para se preparar. Enquanto isso, os times chamados pequenos já estão há três meses treinando. Aí acontecem situações de início de temporada, como essa do Corinthians - afirmou Renato.

- Acho fundamental estarmos treinando no Rio, no mesmo clima quente que vamos enfrentar nas partidas, sem viagens longas que atrapalhem um bom descanso.

A estratégia do Vasco para reduzir os efeitos da falta de tempo para uma preparação ideal também passa pelos adversários escolhidos para os amistosos. Nesta quinta-feira, às 16h, o time enfrenta o Rio Branco, de Campos, em São Januário. Fundado em 1912, o clube rosa e preto disputa a Segunda Divisão do Estadual. Um rival modesto, mas que certamente resistirá mais do que o Duque de Caxias, adversário goleado na última terça-feira por 6 a 0, no Vasco-Barra.

- Essas partidas são apenas para dar ritmo aos jogadores, treinar jogadas, ganhar ritmo. Não podemos convidar um time forte, que vem treinando há muito tempo. Aí vão querer atropelar, os daqui não vão querer perder e o risco de lesões é enorme, já que a musculatura ainda não está em condições ideais. Não posso perder jogadores para o Estadual, que é o que realmente importa - explicou Renato.

Fonte: O Globo