Futebol

Com a defesa reformulada, Barbieri tenta quebrar marca negativa do Vasco

O Vasco prioriza a reformulação da defesa nessa janela de transferências. Afinal, sete das 11 contratações foram para o setor. O clube fechou com dois goleiros (Ivan e Léo Jardim), dois laterais (Piton e Pumita) e três zagueiros (Léo, Robson Bambu e Capasso). Isso porque o desempenho defensivo nos últimos anos não é bom. Quebrar essas marcas será um grande desafio para Barbieri.

Aliás, o Cruz-Maltino retornou a disputar as semifinais de uma edição do Carioca na última temporada. Antes ficou de fora por dois anos consecutivos (2020 e 2021). A última vez em que teve a melhor defesa no torneio foi em 2020, mas disputou apenas 11 jogos. O clube de São Januário não vence a competição desde 2016 quando também teve a defesa menos vazada com nove gols sofridos, em 18 partidas.

Ainda assim, o rendimento no Campeonato Brasileiro também é preocupante. Isso porque a última vez em que teve a melhor defesa foi na edição de 1998, quando terminou na décima colocação. Já na era dos pontos corridos, sua melhor marca foi em 2011, quando teve a terceira menos vazada levando 40 gols. Nesse ano, o Cruz-Maltino foi vice-campeão.

Em 20 edições da Série A por pontos corridos, o clube de São Januário caiu em quatro oportunidades (2008, 2013, 2015 e 2020). Em todas elas a equipe teve pelo menos a quarta pior defesa do torneio.

O Vasco participou de 15 edições do Campeonato Brasileiro, em seis delas esteve pelos menos entre as cinco piores defesas. Em 2005 e 2018 foram os anos em que o clube de São Januário não foi rebaixado, mas teve esse desempenho negativo.

Números defensivos do Vasco quando caiu

2008 – Segunda pior defesa com 72 gols

2013 – Terceira pior defesa com 61 gols

2015 – Segunda pior defesa com 54 gols

2020 – Quarta pior defesa com 56 gols

Bola aérea, um problema recorrente

A bola aérea é um outro problema que persegue o Vasco. Nas últimas temporadas os gols levados pelo alto chamaram a atenção pela grande frequência. Em 2021, por exemplo, o Cruz-Maltino tomou 77 gols e 41 deles foram dessa forma, o que representa mais da metade dos gols que a equipe sofreu (53,2%).

Além disso, na última edição da Série B, sob o comando de Zé Ricardo, o time apenas havia sofrido sete gols pelo alto em 25 partidas. Após o treinador deixar o clube, a bola aérea voltou a ser uma preocupação.

Dos 36 gols que o Vasco tomou na Série B, 19 foram pelo alto. É a mesma porcentagem do ano anterior (aproximadamente 53%). Ou seja, o problema não foi resolvido.

Fonte: Jogada 10
  • Terça-feira, 21/05/2024 às 21h30
    Vasco Vasco 3
    Fortaleza Fortaleza 3
    Copa do Brasil São Januário
  • Domingo, 02/06/2024 às 16h00
    Vasco Vasco
    Flamengo Flamengo
    Campeonato Brasileiro - Série A Maracanã
  • Quinta-feira, 13/06/2024 às 21h30
    Vasco Vasco
    Palmeiras Palmeiras
    Campeonato Brasileiro - Série A Arena Barueri
  • Domingo, 16/06/2024 às 18h30
    Vasco Vasco
    Cruzeiro Cruzeiro
    Campeonato Brasileiro - Série A São Januário
  • A definir
    Vasco Vasco
    São Paulo São Paulo
    Campeonato Brasileiro - Série A A definir