Confira os detalhes do Vasco de Ramon Menezes

27/06/2020 às 16h33 - FUTEBOL

Se existe uma coisa que Ramon Menezes teve, desde sua efetivação até a estreia como técnico do Vasco, foi tempo. Ao menos na teoria, os mais de três meses, entre estudos durante o isolamento e treinos em São Januário, serviram para que fizesse mudanças na equipe que começou a temporada e que foi, até a paralisação do futebol por causa da pandemia do novo coronavírus, treinada por Abel Braga. Domingo, às 16h, contra o Macaé, terá a chance de colocar em prática tudo que vislumbrou no papel como solução para o início de ano abaixo da crítica.

Esquema tático

Tudo indica que Ramon começará a partida com Fernando Miguel, Yago Pikachu, Ricardo Graça, Leandro Castan e Henrique; Fellipe Bastos, Andrey, Benítez e Bruno César; Talles Magno e Cano. Em relação ao time ideal de Abel Braga, escalado na estreia do time na Sul-Americana, são quatro mudanças — saem Werley, Raul, Marcos Júnior e Marrony, entram Ricardo Graça, Fellipe Bastos, Bruno César e Benítez.

O mais importante é a alteração tática que vem a reboque. O Vasco deixa para trás o 4-3-3 e passa atuar no 4-4-2. Meia de criação de primeiro nível nos tempos de jogador, Ramon Menezes tenta resgatar a função com as entradas de Benítez e, principalmente, Bruno César na equipe. O meio de campo mais encorpado poderá dar mais liberdade para a subida dos laterais, especialmente Yago Pikachu, cujas qualidades são potencializadas quando atua como lateral, mas com muita liberdade para entrar na área rival. Com quatro homens no meio, é mais fácil acertar o sistema de cobertura.

Para completar, a escalação, caso confirmada, pode dar mais liberdade para Andrey. O jogador, segundo volante de origem, se adaptou bem à função mais defensiva, como primeiro homem à frente da zaga, mas com a entrada de Bastos, poderá ter espaço para se aproximar um pouco mais da área rival, ao menos revezando com o novo titular.

Equipe mais rodada

O novo time, se confirmado, passa uma sensação de ser menos um laboratório para a formação de novos talentos e mais algo pronto, ainda que com potencial de evolução menor. Jogadores como Fellipe Bastos e Bruno César trazem uma experiência que a equipe, no começo do ano, não tinha, especialmente com a disposição de Abel Braga em dar todo o espaço do mundo para garotos da base. Com ele, jogaram Juninho, Gabriel Pec, Lucas Santos, Vinícius, Bruno Gomes, todos eles, com exceção de Lucas, com idade de sub-20.

A média de idade das escalações titulares, tanto de Abel Braga quanto de Ramon Menezes, é a mesma: 27 anos. Mas o time que o técnico estreante colocará em campo domingo sinaliza uma nova relação de forças no elenco. Antes pautado pelo aproveitamento dos jogadores mais jovens, o trabalho da comissão técnica agora aposta no resgate de nomes mais encorpados.

Dupla de zaga 'ideal'

Leandro Castan, liderança técnica e moral dentro do elenco do Vasco, é tido como inquestionável na linha defensiva. Mas a escolha de seu companheiro de zaga sempre foi um ponto que incomodou demais a torcida do Vasco. Werley, ainda que com atuações que não chegaram a comprometer o trabalho de Abel Braga, sempre foi visto com certa desconfiança pelos torcedores. Ao lado de Castan, o desejo da arquibancada era pela escalação de Ricardo Graça, zagueiro formado no clube e que vive trajetória de evolução constante desde o ano passado. A convocação para a seleção pré-olímpica e o bom desempenho na equipe que conseguiu vaga para os Jogos de Tóquio só aumentaram o apelo para a escalação do jogador.

O fato de atuar pela esquerda, mesmo lado favorito de Castan, foi um obstáculo para a titularidade de Ricardo Graça com Abel, mas não será neste primeiro jogo de Ramon à frente do Vasco. O entrosamento da dupla, a dinâmica de posicionamento e cobertura será testada na partida contra o Macaé. De toda forma, Ramon já começa o trabalho ganhando pontos com a torcida por ao menos dar chance para a nova zaga corresponder.

Fonte: O Globo Online